Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Professor acusado de abusar sexualmente de criança dentro de escola é preso em Parauapebas

Segue preso à disposição da Justiça o professor identificado como Gilson Carlos Azevedo da Rosa, que tem 60 anos de idade. Ele é suspeito do crime de estupro de vulnerável praticado dentro de uma escola da rede pública municipal de ensino em Parauapebas, sudeste paraense.

Segundo informações repassadas à equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar pelas autoridades policiais, Gilson teria abusado de uma aluna de nove anos de idade. Na ocasião, o professor teria colocado um filme para a turma assistir e posteriormente levou a vítima para os fundos da sala e praticou o crime. Imediatamente o caso foi comunicado à Polícia Civil, que dias após, conseguiu realizar a prisão preventiva do suspeito.

Gilson era professor da Escola Marcelo Rimé Vitalino, localizada no Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas. A Secretaria Municipal de Educação de Parauapebas (Semed), se pronunciou após uma grande repercussão do caso. Confira abaixo a nota expedida:

“A Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), informa que está contribuindo com a Polícia Civil, no caso da denúncia contra o professor acusado de abuso sexual contra uma aluna.

Assim que a escola recebeu a denúncia, a gestão da unidade de ensino tomou todas as providências administrativas e de orientação e apoio à família. O professor denunciado foi afastado imediatamente e a Semed abriu sindicância para apuração dos fatos.

O caso está sendo investigado e todas as medidas cabíveis tanto administrativas como criminais estão sendo tomadas. 

A gestão municipal ressalta que campanhas de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes são realizadas de forma constante nas escolas municipais e em parceria com outros órgãos no município, que contribuem para a construção de um ambiente seguro e acolhedor para todos os estudantes”.

Reportagem: Márcio Alves  |  Portal Pebinha de Açúcar

Qual sua reação para esta matéria?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
1
+1
6
+1
14
Leia também no Portal Pebinha de Açúcar:

Deixe seu comentário