Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Projetos que criam cargos na área contábil e transformam cargo de engenheiro são aprovados pela Câmara

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Duas proposições de autoria do Poder Executivo que criam cargos na área de contabilidade e financeira da Prefeitura de Parauapebas e transformam o cargo de engenheiro foram aprovadas pelos vereadores em sessões da semana passada.

Criação de cargos


Foi aprovado na sessão ordinária de terça-feira (3) o Projeto de Lei nº 101/2019 que altera dispositivos da Lei nº 4.213/200, criando cargos em comissão no Departamento de Contabilidade e Orçamento (DCO) e no Departamento Financeiro e Tesouraria (DFT).

A matéria institui no DCO a divisão de Contabilidade e a Divisão Orçamentária. Já no DFT implanta a Divisão Financeira e de Tesouraria. A princípio, a proposição criava os cargos de diretor dos referidos departamentos, entretanto, o próprio Executivo fez uma emenda modificativa, alterando a nomenclatura para coordenador.

O coordenador de Contabilidade e Orçamento terá como atribuições registrar os fatos que envolvam orçamento, finanças e patrimônio do município; supervisionar a elaboração de balancetes e demonstrativos; coordenar o levantamento de dados para auxiliar na elaboração da Lei de Diretrizes Orçamentárias, do Orçamento Anual e do Plano Plurianual; liquidar empenhos, acompanhar execução da receita e da despesa, entre outras.

Já o coordenador Financeiro e de Tesouraria terá como competências registrar os fatos que envolvam o recebimento de receita e o pagamento de despesas, arrecadação de recursos; realizar a abertura de contas bancárias e aplicações financeiras; apurar obrigações fiscais; realizar, acompanhar e registrar baixas de pagamento; prestar informações financeiras da prefeitura e movimentar recursos financeiros do município, dentre outras.

O Projeto de Lei nº 101/2019 também recebeu uma emenda supressiva, retirando o artigo 6º da matéria, que trazia o quadro de detalhamento de despesa com os cargos criados. Entretanto, o Executivo entendeu que o referido trecho era desnecessário, tendo em vista que a proposição já apresenta estimativa do impacto orçamentário-financeiro.

Adequação

Na justificativa do projeto, o prefeito Darci Lermen relata que o objetivo da proposição é fazer readequação da estrutura administrativa da Secretaria Municipal de Fazenda, com o desmembramento do Departamento Contábil nos departamentos de Contabilidade e Orçamento e no Financeiro e Tesouraria.

“Essa readequação visa direcionar ações específicas relativas à gestão contábil e financeira com a eliminação de superposições de funções, para a obtenção de melhores resultados e fortalecimento da capacidade institucional”, argumenta o prefeito.

O Projeto de Lei nº 101/2019 e as emendas tramitaram pelas Comissões de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e de Finanças e Orçamento (CFO), que emitiram parecer conjunto pela aprovação. A proposição foi aprovada por unanimidade.

Transformação de cargo

Já na sessão extraordinária realizada na última sexta-feira (6) foi aprovado o Projeto de Lei nº 105/2019, que transforma o cargo de engenheiro nos cargos de engenheiro civil, engenheiro ambiental, engenheiro eletricista, engenheiro mecânico e engenheiro sanitarista. A proposição faz alterações na Lei Municipal nº 4.400/2010, que dispõe sobre o plano de organização do pessoal do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep).

“A adequação referente aos cargos de engenheiro justifica-se tendo em vista que na lei atual há previsão somente do cargo de engenheiro, sendo que após a realização do concurso, os mesmos foram distribuídos de acordo com as suas graduações, nas especificidades que atendiam a autarquia”, informa o prefeito em exercício Sérgio Balduíno na mensagem enviada junto ao projeto à Câmara.

Com a transformação do cargo de engenheiro, também é realizada a fixação do novo padrão de vencimento destes profissionais, com base na natureza da função, suas complexidades, peculiaridades e o grau de responsabilidade dos ocupantes.

O Projeto de Lei nº 105/2019 também foi analisado pela CCJR e CFO, que emitiram parecer em conjunto pela aprovação. Todos os vereadores presentes na sessão votaram sim. O presidente da Casa, Luiz Castilho (Pros), relatou que a votação da proposição este ano só foi possível devido ao esforço dos parlamentares, que atenderam à solicitação dos servidores, engenheiros do Saaep.

“Só tenho a agradecer o debruçar de todos os membros das comissões, para fazer com que as expectativas dos servidores fossem atendidas e essa situação resolvida. Se não fosse a disponibilidade dos vereadores, só seria votado em abril do ano que vem. Obrigado a todos vocês pelo empenho. É muito bom quando a gente entrega um trabalho para valorização do servidor público municipal, aos quais devemos muita gratidão pelos serviços prestados à população”, destacou Luiz Castilho.

Encaminhamento

O Projeto de Lei nº 101/2019 e o Projeto de Lei nº 105/2019 serão encaminhados para sanção do prefeito Darci Lermen.

 

Publicidade

Veja
Também