PROSAP: Caminhoneiros que prestam serviços para a Transvias paralisam atividades

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Fotos: Fabi Souza

Desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (22) que dezenas de caçambeiros que prestam serviços para a empresa Transvias, contratada pela Prefeitura Municipal de Parauapebas para atuar nas obras do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap), se encontram com as atividades paralisadas.

De acordo com informações obtidas pela equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar, os caçambeiros reclamam da queda no valor do contrato de aluguel das caçambas, por parte da Transvias e outras questões que envolvem os trabalhos dos profissionais.


A manifestação fecha parcialmente o canteiro de obras que fica localizado nas proximidades da Prefeitura Municipal de Parauapebas no Morro dos ventos.

Um dos motoristas que aluga caçambas para a Transvias e que preferiu não ser identificado, relatou: “Não queríamos trazer transtornos, sabemos que a obra é importante, carregamos o progresso da cidade nas costas. Temos caminhões que são tratados de forma diferente. Os de fora, vindos de outros estados, estão sendo remunerados de forma mensal e a gente, que está desde o início da obra, automaticamente mudaram a forma de pagamento para produção, porém, a produção não está sendo suficiente. Eles amarram os serviços e quando fazemos algum tipo de reclamação, eles falam que vão tirar nosso caminhão”, relatou o caminhoneiro, afirmando que existem atravessadores entre a categoria deles e a Transvias, e as pessoas cobram valores que precisam ser repassados mensalmente, além de outros fatores, como sistema de rastreamento que precisam ser pagos pelos caminhoneiros. “A gente está brigando por uma causa que é direito nosso, queremos ser tratados da mesma forma que os caminhoneiros de outros estados são”, finaliza.

Durante uma live feita pelo vereador Aurélio Goiano (PSD) na sua página no Facebook, um engenheiro da Transvias chegou ao local e conversou com o parlamentar e com os caminhoneiros. Ele chegou a falar que não é responsável pelo setor de reajuste dos valores dos caminhoneiros, porém, afirmou: “Esse é o valor que a gente oferece, aceita quem quiser”.

 

Outro lado

Para que o poder público pudesse se manifestar sobre a paralisação, nossa equipe entrou em contato com Cleverland Carvalho, Coordenador do Prosap, que informou que não existe nenhum aluguel de caçamba atrasado, porém, a Prefeitura de Parauapebas não é responsável por negociação de valores entre os caminhoneiros e a empresa Transvias. “O método atual adotado para pagamento das caçambas pela Transvias é por produção e não mensal, por outro lado, os caçambeiros querem que o pagamento seja mensal fixo. Vale ressaltar que a PMP não entra em acordo comercial entre prestadores de serviços da Transvias”, disse.

O Portal Pebinha de Açúcar, por sua vez, entrou em contato com a filial da empresa Transvias no Pará, responsável pela locação das caçambas, que encaminhou os seguintes esclarecimentos:

“1) Não há pagamentos em atraso para nenhum fornecedor, inclusive referente aos prestadores de serviços de transporte;
2) Em nenhum momento estes proprietários de caminhões/empresários procuraram o nosso escritório na cidade de Parauapebas/PA citando alguma reivindicação;
3) A obrigatoriedade de rastreamento se justifica pela transparência, para ambas as partes, na medição referente a produção/quantidade de material transportado e quilometragem rodada por cada caminhão;
4) A empresa Transvias possui contratos com todos as empresas que prestam o serviço de transporte de material;
5) As preferências de contratação até o momento são de empresários e proprietários dos caminhões locais;
6) Ocorreu uma alteração do regime contratual em novembro, com a anuência de todos os contratados, do regime mensal para o regime produção (km x Volume) em função do período chuvoso.
7) Por se tratar de uma relação estritamente comercial, somente deverão permanecer como contratados da empresa Transvias aqueles que concordarem com as cláusulas contratuais, já compactuadas entre as partes, inclusive aquelas referentes aos preços e prazos praticados.
8) A empresa Transvias está aberta a qualquer diálogo e/ou quaisquer esclarecimentos a todos os fornecedores, prestadores de serviço, representantes da comunidade e todos os demais através do nosso escritório na Rua Gonçalves Dias, 111 – Bairro Liberdade, Parauapebas/PA”.

 

 

Publicidade

veja também