Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Quartel da Polícia Militar em Parauapebas continua sem serviço do 190

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um problema que existe desde de sempre, pondo em dificuldades pessoas que precisam acessar os serviços da Polícia Militar para atendimento de emergência em diversos casos.
Trata-se do disk 190, número conhecido em todo o Brasil como sendo o “número da polícia”; porém, em Parauapebas o serviço nunca foi implantado para que o 23º Batalhão da Polícia Militar seja acessado através deste número.

“Antes de existir o Disk Denúncia era bem pior; a gente não tinha como chamar a polícia e isso fazia com que muitos criminosos não fossem pegos em possíveis flagrantes”, lembra dona Natália, moradora em Parauapebas há mais de 20 anos.


Diversos comandantes que assumiram o comando da Polícia Militar em Parauapebas demonstraram, em vão, esforços para que a deficiência fosse corrigida, tendo sempre como obstáculo uma operadora que não direcionou as ligações feitas para o 190 ao Quartel do 23º BPM.

A exemplo dos comandantes que o antecederam, o atual comandante Major Gledson Santos não tem medido esforços para que o caso se resolva. De acordo com o comandante militar, esse assunto já foi debatido em reunião sem obter êxito na reivindicação, continuando as ligações caindo na Polícia Militar de Marabá, tendo que ser repassado a ocorrência para Parauapebas, o que representa perda de tempo para o atendimento da ocorrência. “Dia 24 teremos uma reunião com várias autoridades, quando esse problema será novamente explanado e acreditamos que breve teremos respostas para isso”, planeja Gledson, detalhando que em relação ao Centro de Controle Operacional (CCO), existe um número de telefone celular que é disponibilizado para a população, mas, ocorre o caso de que, para isso, depende da telefonia móvel e muitas vezes está sem sinal; além do fato de ser apenas uma linha de celular, o que pode dar ocupado enquanto o atendente anota uma ocorrência, por exemplo.

Por enquanto a população deve continuar ligando ou mandando mensagens ao CCO através do número (94) 99264-5348, cuja denúncia é repassada pelo operador via rádio para as viaturas que estão cobrindo as respectivas áreas.

Publicidade

Veja
Também