Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Queimadas às margens de rodovias causam danos ao fornecimento de internet

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A internet que você usa, mesmo via rádio, depende de estrutura que passa por cabeamento vindo de longe.

Em alguns trechos, os cabos, que conhecemos como fibra ótica, estão invisíveis, por estar no subsolo às margens das rodovias. Em outros, suspensos nos postes, aqueles mesmos que também trazem a energia elétrica.


Mas, apesar de enterrado ou suspenso, este material sofre com a agressão provocada por pessoas que, mesmo sem ter a intenção, terminam por danificá-los, o que resulta em transtornos para os operadores do sistema de internet e muito mais para quem precisa usar este tipo de serviço.

Trata-se das queimadas, frequentes e até comuns, às margens das rodovias. São elas quem, ao queimar as fibras óticas, fazem com que falte internet e cause todo aquele transtorno que muitos de nós não conhecemos.

A culpa sempre vai para o provedor local, para quem ligamos e apresentamos nossas queixas, na esperança de que logo elas sejam resolvidas.

Para entender melhor do assunto, nossa equipe de reportagens procurou um empresário no ramo de fornecimento de internet, Welington Silva, que detalhou a respeito do problema que afeta a todos, até os que não acessam internet, mas precisam de serviços cuja prestação só é possível graças a ela.

“O prejuízo é muito grande. As pessoas que provocam as queimadas não têm noção do tamanho dano que causam. Não me refiro apenas ao prejuízo trazido ao provedor ou ao fornecedor de internet, mas, também, às pessoas que necessitam da internet para fazer uma inscrição no Enem, por exemplo, ou no vestibular, para pagar um boleto bancário, para receber do cliente através de cartão. Tudo isto é um prejuízo muito grande que não dá nem para se calcular”, avalia Welington Silva.

Ainda de acordo com o empresário, fica difícil esclarecer para os usuários a origem deste problema, pois eles querem é que o serviço seja prestado de acordo com o combinado.

 

Outra coisa imprevisível é o tempo que leva para restabelecer o serviço, sendo relativo, de acordo com o tipo de demanda. Ele detalha que quando um trecho está sendo queimado precisa aguardar que o fogo apague e esfrie para avaliar os danos e repor o material destruído.

“É muito difícil explicar ao cliente que precisamos de outro serviço para que ele tenha uma boa internet. Vai muito do bom senso. Algumas pessoas entendem de forma tranquila, mas outras não”, conta Welington, prevendo que enquanto isso continua a acontecer só resta esperar que nas pessoas nasça a consciência de não provocar as queimadas, que trazem problemas em maior proporção que se possa imaginar, qualificando tratar-se de algo que precisa ser combatido com a consciência das pessoas que usam o fogo para limpar áreas.

Reportagem: Francesco Costa / Fotos: Douglas Camargo | Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também