Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

QUEIMADAS: Novo comandante do Corpo de Bombeiros fala em endurecimento das leis para que haja punição

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Responsável pela execução de atividades de Defesa Civil, Prevenção e Combate a Incêndios, Buscas, Salvamentos e Socorros Públicos no âmbito de suas respectivas Unidades Federativas, o Corpo de Bombeiros Militar integra o Sistema de Segurança Pública e Defesa Social do Brasil.

Em Parauapebas, é notório o trabalho desses “anjos da guarda” que, em período de chuvas trabalham no resgate de pessoas nas áreas de alagamentos ou de risco por causa de possíveis deslizamentos; e em período de estiagens, dedicam-se a salvar vidas e patrimônios das constantes queimadas que são feitas de forma irresponsáveis ou acidentais. “Apesar do número reduzido, a corporação se reinventa e dá tudo de si para enfrentar situações diversas que, inevitavelmente, acontecem no dia a dia da comunidade”, explica Major Hugo Cardoso Ferreira, do quadro de combatentes do Corpo de Bombeiros Militar, detalhando que isso se torna possível graças a parcerias com a prefeitura e outros órgãos públicos e também privadas.


O jovem oficial assume o comando do 23º Grupamento de Bombeiros de Parauapebas, trazendo consigo a experiência de dois anos e meio como comandante e dois como subcomandante em Abaetetuba. A mudança traz a Hugo a oportunidade de trabalhar em uma cidade diferente do seu habitual.

“Fizemos estudos da realidade de Parauapebas que foi apresentada em reunião com o comando geral que demonstrou interesse em dar apoio para que possamos atender a população dentro das necessidades”, informou Hugo, contando que o atual governo faz relevantes investimentos no Corpo de Bombeiros.

Major Hugo Cardoso Ferreira – Comandante do Corpo de Bombeiros

 

Quanto a realidade de Parauapebas, nesse período castigado pelas queimadas; ele diz ser necessário o endurecimento das leis para que haja punição. E diz que a população precisa ser chamada à irresponsabilidade e que necessita comunicar ao Corpo de Bombeiros quando há intenção de fazer queimadas ou deve retirar por conta própria uma árvore, devidamente autorizado pelo órgão ambiental. “Os bombeiros não autorizam a fazer queimadas, pois, defendemos que a natureza seja respeitada e a população tenha melhor qualidade de vida sem as queimadas que provocam desconforto e doenças através da fumaça produzida”, explica Major Hugo, contando que não é apenas chuvas e alagamentos que trazem incômodos ou até perturbação à população; ele alerta aos donos de comércios e casas noturnas, locais em que há aglomeração de pessoas.

Quanto a isso, Hugo diz que não quer atrapalhar as pessoas de trabalhar, gerando empregos e atender a população. Segundo ele, o maior foco de preocupação é as boates, pois, dado ao horário de funcionamento e a natural super lotação, dificulta a saída das pessoas em caso de incêndio.

Publicidade

Veja
Também