Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Reunião entre secretarias de Saúde e Educação definirá se aulas da rede pública serão suspensas em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Até o fechamento da matéria, Luiz Vieira não havia se pronunciado sobre a decisão

Nesta terça-feira (17), o Conselho Municipal de Educação de Parauapebas (COMEPA) e a Câmara Municipal de Vereadores se mostraram preocupados com a pandemia de Coronavírus que chegou ao Brasil e sugeriram que as aulas da rede pública municipal de ensino fossem suspensas na “Capital do Minério”.

Por sua vez, Luiz Vieira, titular da Secretaria Municipal de Educação de Parauapebas, usou as redes sociais para divulgar um texto sobre o assunto e disse que uma reunião será realizada na noite de hoje (17) com membros da Semed e Secretaria de Saúde, e aí sim, uma decisão será tomada.


Confira na íntegra abaixo o texto divulgado pelo secretário de Educação:

“Nesse momento de crise, é importante mantermos o raciocínio livre de paixões, vontade pessoal e reforçar o nosso discernimento e, acima de tudo, fugir das especulações. Afinal, somos professores.
A SEMED está atenta a essa realidade que fomos submetidos devido a ameaça do Coronavírus. No entanto, a opção mais lógica é ouvir as autoridades de saúde e seguir suas recomendações. Em tempo de redes sociais onde circula uma enxurrada de fakenews, temos que redobrar os cuidados para não sermos mais um tijolo nesse muro da desinformação.
Desde o início dessa crise estamos conectados com as autoridades estaduais e municipais de saúde e avaliando o cenário, visando preservar nossos alunos e servidores. Orientamos nossos gestores a reforçar o trabalho de informação e prevenção dentro das escolas.
Hoje, às 20h30 teremos uma reunião com o secretário de saúde para avaliarmos todas as possibilidades. Caso seja recomendado a suspensão das aulas, a SEMED não hesitará. Mas essa decisão tem que ser baseada em análise técnica de profissionais habilitados para isso, e não de suposições ou boatos. Sabemos que o risco é real, porém, mais do que nunca temos que buscar informações em fontes oficiais e agir com cautela.
Peço a compreensão de todos”.

Publicidade

Veja
Também