Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Saaep discute com comunidades do Tropical e Ipiranga problemas no abastecimento de água

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na última sexta-feira, 23, na Igreja Católica Sagrada Família, bairro Ipiranga, representantes do SAAEP (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas) e da Associação Central dos Moradores dos Bairros Jardim Ipiranga e Tropical I e II, se reuniram para tratar sobre o fornecimento de água, qualidade dos serviços e negociação quanto à cobrança de contas de água.

A reunião foi provocada pela Associação Central de Moradores por meio do Ofício de nº: 080/2017 – A.C.M.B.JIT, sendo que a Serviço Autônomo de Água e Esgoto prontamente se dispôs a promover o diálogo com representantes comunitários confirmando formalmente a reunião através do Ofício nº 0782/2017 – SAAEP, pelo qual foram convidados todos os diretores, conselheiros, colaboradores e demais interessados para participar da reunião.


Na ocasião, foi aplaudido por todos a participação e atuação do vice-prefeito Sergio Balduíno, que representou o governo Darci Lermen.
Os representantes comunitários registraram que no dia 14/01/2016 e também em 2015 foram realizadas reuniões com os representantes da autarquia, “constantemente a Associação Central dos Moradores dos Bairros Jardim Ipiranga e Tropical I e II (A.C.M.B.JIT) tem persistido para que o Poder Público Municipal resolva este grave problema de falta de água, embora recentemente tenhamos percebido uma melhora significativa ainda existem muito a melhorar, inclusive com soluções definitivas”, ressaltou a senhora Raimunda Marinho, presidente do Conselho Fiscal da A.C.M.B.JIT.

Durante toda a reunião os representantes comunitários foram enfáticos em apresentar as reivindicações da comunidade em relação às cobranças de conta de água referente ao período anterior à regularização do fornecimento de água potável e a celeridade das obras de captação e tratamento de água visando a atendimento da grande.

Após ampla discussão foram dados os principais encaminhamento, sendo:

(1) Quanto as cobranças de conta de agua o SAAEP se comprometeu em estudar cada caso e apresentar alternativas quanto descontos especiais e, dependo caso até conceder isenção dos débitos questionados;

(2) Quanto a qualidade da água todas as providências já estão sendo tomadas ficando acordado uma visita dos representantes comunitários aos reservatórios para averiguação;

(3) Quanto a comunicação e diálogo com a Comunidade o SAAEP se comprometeu em divulgar as providencias e ações realizadas pela Autarquia em relação às melhorias dos serviços nas comunidades Tropical e Ipiranga, assim como nas comunidades adjacentes no caso do Vale do Sol e outras;

(4) Quanto a construção do Projeto de Captação Rio Parauapebas para o Complexo Tropical e Ipiranga ficou acordado a necessidade de inclusão da obra no PPA (Plano Plurianual) para construção no próximo, este projeto atenderá também o Residencial Vale do Sol;

(5) Quanto a questão de saneamento básico deverá ser realizada reunião conjunta com a Secretária Municipal de Obras e SAAEP para juntamente com os representantes comunitários pactuar o atendimento das reivindicações apresentadas.

Na opinião do presidente da A.C.M.B.JIT, Girlan Pereira, a reunião foi produtiva e positiva, pois as lideranças foram participativas e incisivas quanto aos problemas e soluções apresentadas, cabendo a comunidade continuar acompanhando os encaminhamentos e intensificando as reivindicações até a consolidação e real atendimento da pauta, pois todos os pontos apresentados são justos e urgentes já que o acesso a água potável é um direito básico e essencial, sendo levantado também a questão dos esgotos a céu aberto que devem ser resolvidos o mais rápido possível em virtude da proliferação de várias doenças.

Claudenir Rocha, Diretora do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas – SAAEP, reafirmou os compromissos assumidos pelo prefeito Darci Lermen e esclareceu que nestes poucos meses de gestão já foram tomadas as medida paliativas, sendo realizado o levantamento da problemática com apontamento das soluções, cabendo tão somente a inclusão das prioridades no Plano Plurianual e, nos casos mais urgentes e possíveis no ponto de vista legal serão realizados os procedimentos licitatórios e outros atos formais necessários para o atendimento da comunidade.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também