Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

SAAEP recebe administração de ETE e ETA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Da redação do Pebinha de Açúcar

Entregue para o SAAEP (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas), a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) e ETA (Estação de Tratamento de Água) do Bairro Viver Bem Parauapebas passa agora ter a interferência da Gestão Pública.


Mesmo avaliada pelo diretor operacional do SAAEP, Sergio Ferreira Barbosa Neto, o popular “Sergel”, como moderna, a ETE faltava controle no recebimento de material. Agora o primeiro passo, de acordo com informações da Autarquia, foi a efetivação de profissionais químicos para normatizar o funcionamento da estação.
“Eles já atuam com a troca de produtos e coleta de dados que, além de reduzir os custos, dá mais qualidade ao trabalho”, conta Sergel, comemorando que a aquela estação esteja com uma garantia de pelo menos 90% no tratamento final do esgoto ao devolver a água recuperada; o que ele avalia como “dentro dos parâmetros exigidos pela Lei”.

De acordo com números do SAAEP, o projeto daquela ETE comportaria as 12 mil casas que deveriam ter sido construídas no bairro além do shopping, porém como o número de casas é bem inferior ao previsto a estação trabalha com folga, podendo receber material de outros bairros; um deles é o Alvorá Parauapebas, que está sendo construído nas proximidades e deverá enviar para ela o material de esgoto.

Água
O sistema de água do Bairro Viver Bem Parauapebas também foi entregue ao SAAEP. O sistema é feito por três poços profundos com uma capacidade de capitação de 110 mil litros/hora, e um reservatório de 2,5 milhões de litros, o suficiente para abastecer até 40 mil pessoas. De acordo com agenda de serviços do SAAEP, tão logo termine a efetivação de água em todos os domicílios, serão instalados hidrômetros para o aferimento do consumo o que tornará o sistema autossuficiente e evitará desperdício de água.
“Tanto a ETE quando a ETA daquele bairro serve como modelo para os demais bairros”, salienta Sergel, qualificando o projeto como muito bem elaborado dentro dos padrões técnicos.

Custos
Recuperar esgoto não é barato, conforme avaliou Sergel, mensurando que dos gastos com saneamento 80% representa o esgoto e apenas o restante é com captação, tratamento e distribuição de água; motivo que ele apresenta como alegação para a eficiência no tratamento de esgoto.
Outra ação do SAAEP será a construção da maior ETE do Sul do Estado do Pará que terá capacidade para 45 mil habitantes, atendendo todo o Complexo Altamira com previsão para ser inaugurada no meado deste semestre deste ano. A obra será construída no bairro Tropical.

Publicidade

Veja
Também