Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

São Francisco derrota Paragominas e vai à final do returno do Parazão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Em jogo movimentado e recheado de emoções no estádio Colosso do Tapajós, em Santarém, na noite de sábado (16), a equipe do São Francisco venceu nos pênaltis, após empate em 1 a 1, o Paragominas e garantiu vaga na final do segundo turno do Campeonato Paraense de Futebol. A equipe azulina também carimbou a participação para a Série D do Campeonato Brasileiro e para a Copa do Brasil de 2017. A outra vaga da final será decidida neste domingo (17) entre São Raimundo e Cametá, também em Santarém.

Os gols da primeira partida das semifinais foram marcados pelo goleiro Paulo Rafael, do São Francisco, e por Caiquinha para o Jacaré no tempo normal. O árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva apitou a partida, com as assistências de Lucio Ipojucan Ribeiro e Silvério Ferreira Pinto. Os azulinos entraram em campo como líderes do Grupo A1 com oito pontos e o Jacaré como segundo colocado do Grupo A2 com dez.


O jogo começou com domínio da equipe visitante nos primeiros 15 minutos, quando passou a aparecer o toque de bola do Leão santareno. A chance mais nítida de gol veio aos 31 minutos, quando Samuel recebeu a bola na grande área, driblou o goleiro Rédson e de cabeça mandou a bola para fora. A torcida foi ao delírio e reclamou bastante. Ainda pelo Leão, Balotelli levou perigo à defesa do adversário, mas não conseguiu achar o caminho do gol. O Paragominas passava a apostar nos contra-ataques e chutes de fora da área, dando um pouco de trabalho ao goleiro Paulo Rafael. O primeiro tempo terminou sem gols.

As equipes voltam para o segundo tempo sem alterações. O São Francisco tentou impor mais toque de bola ao jogo. Logo aos cinco minutos, Samuel fez grande jogada e deixou Balotelli na cara do gol. O atacante foi superado pelo goleiro Rédson. O Leão pressionou e, aos dez minutos, após uma investida do atacante Balotelli, Carlinhos Marahu fez falta dentro da pequena área. O árbitro marcou pênalti. O goleiro Paulo Rafael pediu para bater e abriu o placar do jogo: 1 a 0 para o São Francisco.

A partir daí, o jogo ficou equilibrado. O Paragominas levou perigo com Aleilson, mas a zaga do Leão conseguiu frear as investidas dos atacantes do Jacaré. Parecia que não haveria mais lances surpreendentes que pudessem alterar o placar, mas aos 39 minutos, Daniel cobrou falta para o Paragominas e jogou a bola dentro da grande área. A zaga do São Francisco cortou, mas Caiquinha recebeu a sobra e chutou para o gol do leão. O goleiro Paulo Rafael falhou e o empate do Jacaré foi sacramentado: 1 a 1.

O jogo ficou bastante movimentado. A torcida do São Francisco passou a gritar mais, incentivando o time. O Paragominas apostou nos contra-ataques, mas aos 48 minutos, o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva apitou o fim do tempo regulamentar. Pelo regulamento, a decisão da vaga foi para os pênaltis.
O Leão escalou Guilherme Neves, Samuel, Juninho, Andrelino e Paulo Rafael para as cobranças. O Paragominas apresentou Aleilson, Rondineli, Daniel, Laio e Romário. Paulo Rafael defendeu a cobrança de Daniel e o colega Rédson defendeu a de Andrelino. Com o jogo empatado em 4 a 4, as cobranças passam a ser no mata a mata. Pelo Leão, Andrey e Ricardinho mandaram a bola para o fundo do gol. Pelo Paragominas, Carlinho Marahu converteu, mas o goleiro Rédson mandou a bola para fora do gol. São Francisco garantiu vaga na final do segundo turno do Parazão 2016.

O técnico do Paragominas, Samuel Cândido, lamentou a derrota. “Poderíamos ter vencido esse jogo, mas infelizmente não foi possível. Agora temos que descansar esse grupo e ver qual será o planejamento do clube. Queríamos muito essa vaga na Série D, mas infelizmente isso não aconteceu”. O goleiro do Leão, Paulo Rafael, foi o nome do jogo. Fez o gol de pênalti e depois sofreu um frango, cedendo o empate. “Em 2014, aconteceu algo parecido comigo no Paysandu, pois falhei em um gol e me crucificaram. Hoje o Andrelino estava na minha frente e o refletor me enganou, mas não vou ficar inventando desculpa. Não seria justo hoje que, depois de tudo que fizemos, saíssemos daqui com um placar negativo”, desabafou Rafael.

Reportagem: Alailson Muniz / Agência Pará

Publicidade

Veja
Também