Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Sebrae e Vale assinam termo para capacitação de empreendedores de comunidades no sudeste paraense

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Iniciativa deve beneficiar empreendedores de comunidades de Bom Jesus do Tocantins, Marabá, Eldorado dos Carajás, Curionópolis, Parauapebas, Canaã dos Carajás, Ourilândia do Norte, Tucumã e São Félix do Xingu

Esta semana, o Sebrae no Pará e a Vale assinaram convênio de cooperação técnica e financeira, com o objetivo de apoiar conjuntamente o empreendedorismo social em comunidades do sudeste paraense. A ideia é fornecer orientação para que as associações tenham capacidade de administrar, fazer a gestão financeira e ter um plano de crescimento, a fim de que pequenos negócios se tornem sustentáveis, capazes de permanecer no mercado, com geração de trabalho e renda.


O convênio, que foi assinado na segunda-feira (17) na sede do Sindicato das Industrias Minerais do Estado do Pará (Simineral), terá duração de até dois anos e prevê ações por meio de soluções e estudos de capacitação, assistência e formalização de micro e pequenos empreendedores em comunidades nos municípios de Bom Jesus do Tocantins, Marabá, Eldorado do Carajás, Curionópolis, Parauapebas, Canaã dos Carajás, Ourilândia do Norte, Tucumã e São Félix do Xingu. Caberá à Vale a identificação de projetos e comunidades a serem apoiadas e ao Sebrae o trabalho de capacitação junto ao público alvo.

“É muito importante atuarmos junto aos empreendedores do sudeste do Pará por se tratar de uma região estratégica para a missão do Sebrae. Estamos muito confiantes que essa parceria terá ótimos resultados”, comentou o diretor-superintendente do Sebrae no Pará, Rubens Magno.

O gerente de Desenvolvimento Territorial da Vale, Frederico Baião, explica que o trabalho será desenvolvido junto a empreendimentos comunitários urbanos e rurais nas localidades onde a empresa atua. “Este trabalho faz parte do objetivo da Vale de atrair recursos técnicos e financeiros para a região sudeste do Pará, afim de catalisar o desenvolvimento socioeconômico das populações mais vulneráveis. A partir disso, esperamos que cooperativas, associações e outros empreendimentos comunitários que recebem apoio, desenvolvam um conjunto de competências essenciais de gestão e que alcancem a sustentabilidade de seus negócios, com acesso e permanência nos mercados locais e regional”, destaca Baião.

Publicidade

Veja
Também