Segunda etapa de vacinação contra aftosa inicia no dia 1º de novembro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A meta é manter o índice da última campanha que foi 99% do rebanho vacinado em Parauapebas

Com o objetivo de manter o Pará livre da febre aftosa a ADEPARÁ – Agência de defesa agropecuária do estado do Pará realizará em novembro, a segunda etapa da campanha de vacinação contra aftosa. Segundo a entidade, a meta será manter a da última campanha, quando se chegou a 99% do rebanho vacinado.


Parauapebas tem um rebanho de aproximadamente 110 mil bovinos. Mas, esse número chega a 230 mil, quando é considerado o rebanho da região do Contestado, que já pertence ao município de Marabá, mas são os técnicos da ADEPARÁ de Parauapebas que prestam assistência. O mesmo acontece com o número de produtores rurais. Só de Parauapebas, são 840. Mas, com o Contestado, e de alguns municípios vizinhos que movimentam por aqui, chega a 900 produtores.

O médico veterinário, Denilson Lima, da ADEPARÁ em Parauapebas falou quanto às restrições. “Diferente das campanhas anteriores, só serão vacinados os animais bovinos e bubalinos de 0 a 24 meses. Mas, vale ressaltar que isto é apenas nesta etapa de novembro. Na campanha de maio de 2018, voltam a ser todos os animais, independente da idade”.

Em Parauapebas existem cinco locais autorizados a vender a vacina. Depois de imunizar o rebanho, o produtor deverá se dirigir ao escritório da ADEPARÁ, localizado na rodovia Faruk Salmen, com a nota fiscal. Desta forma, irá atualizar as informações sobre nascimento e mortes de animais em sua propriedade. E isto deverá ocorrer até o dia 15 de dezembro.

Denilson ainda ressalta que o produtor rural de Parauapebas é compromissado com a sanidade agropecuária, e destaca os benefícios da adesão a campanha. “Além de garantir a saúde dos animais, não havendo perdas econômicas para o produtor, por exemplo, com o animal doente. Também tem a questão legal, pois, a vacina de aftosa é obrigatória e o Ministério da agricultura, pecuária e abastecimento – MAPA exige que ela chegue há pelo menos 90 por cento”.

Caso o produtor não imunize o seu rebanho, pagará multa no valor de R$ 22,00 a cada animal não vacinado. Além disso, se a adesão não ocorrer dentro da meta do MAPA, o Estado poderá perder o status de zona livre de febre aftosa, comprometendo diretamente os negócios, pois é este status que abre o mercado, tanto nacional quanto internacional.

Estado do Pará livre da Aftosa

A Febre Aftosa é uma doença de natureza aguda, febril altamente transmissível que ataca bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos, suínos e alguns animais silvestres como a capivara.

Em 2014, o Pará foi incluído na lista dos estados brasileiros livre da febre aftosa. E para manter esse status, precisa que pelo menos 90% do rebanho seja vacinado a cada ano, durante as duas etapas das campanhas da vacinação realizadas. Em 2016, o Estado alcançou um índice vacinal de mais de 98%.

A população paraense consome apenas 30% da produção de carne bovina do Estado, os outros 70% que sobram são destinados à exportação, ou seja, a confirmação de que o Pará está 100% livre da febre aftosa garante a abertura de mercados em todo o mundo.

Reportagem: Anne Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

veja também