Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Segunda florada de Ipês vira ‘ponto turístico’ em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Durante a tarde do último domingo (4), a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar percorreu a PA-275, no perímetro urbano de Parauapebas e comtemplou um espetáculo proporcionado pela natureza através da segunda florada dos ipês no ano.

Várias pessoas saíram de suas casas e munidas de câmeras profissionais e até mesmo de aparelhos celulares, fizeram questão de registrar o lindo momento que acontece apenas duas vezes por ano.


“Moro em Parauapebas há quase 20 anos e particularmente nunca presenciei uma florada tão linda como esta que estamos presenciando. Os Ipês e a natureza estão nos proporcionando um lindo show, vale a pena registrar cada comento”, comentou a empresária Júlia Amaral, que fez questão de trazer filhos e neto para fazer fotos ao longo da PA-275.

Por sua vez, o produtor rural Amarilson Carvalho que mora em Parauapebas desde o ano passado, afirmou estar surpreendido com o que viu no último domingo. “Nunca tinha presenciado esta cena, nossa cidade está linda, estava passando por aqui com minha esposa e fiz questão de parar e registrar o momento com algumas fotos”, disse.

Grande parte dos Ipês que embelezam a cidade na PA-275, além de outras áreas, foi plantada na década de 90 por moradores pioneiros e também por políticos da época.

Mas não é só na PA-275 que os ipês dão um espetáculo para a população, no Bairro Cidade Jardim, por exemplo, existe até mesmo uma avenida que leva o nome de Ipê e que está totalmente florida e encantando quem passa pelo local.

Sobre a árvore

O Ipê é uma árvore nativa da Mata Atlântica brasileira, encontrada tanto na floresta pluvial atlântica como na semidecidual. Por vezes ocorre também no cerrado. É nativa dos estados brasileiros do Acre, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro e São Paulo.

A árvore decídua, de crescimento rápido, com altura de 8 a 12 m, pode chegar aos 30 m no interior da mata. Ocupa na mata primária o dossel superior.

As folhas são compostas com 5 folíolos grandes, como a maioria dos ipês. São coriáceas ou subcoriáceas.

Como os demais ipês, é uma árvore ornamental, cuja floração ocorre na estação seca (maio-agosto-setembro), época em que perde todas as folhas. A inflorescência é um panículo terminal, as flores que vão do rosa ao lilás duram poucos dias e fornecem alimento para insetos como como abelhas, que são importantes polinizadores, destacando o vespão mamangava, aves entre as quais os colibris e mesmo macacos.

O frutos são capsulas septicidas grossas em uma vagem deiscente. As sementes membranáceas são dispersas por anemocoria (pelo vento).

Publicidade

Veja
Também