Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Segunda turma de Agentes de Proteção é empossada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Foi a juíza da terceira vara cível e empresarial de Parauapebas, Priscila Mousinho, que deu posse na manhã de ontem, segunda-feira, 4, aos sete Agentes de Proteção da Criança e da Juventude. Quatro deles já atuaram na primeira turma e tiveram a prorrogação de mais um ano para atuar.

Segundo a juíza, a Vara na qual está à frente, é grande e não tem estrutura para fiscalizar todos os locais que são e não deveriam ser frequentados por crianças e adolescentes. “É por conta disto que a gente conta com este trabalho voluntário dos agentes que, após passar por processo seletivo, passam a auxiliar na fiscalização e na garantia da proteção integral da criança e do adolescente”, explica Priscila, detalhando que os agentes não têm poder repressivo, mas apenas fiscalizador, reportando todas as ações que envolvem crianças e adolescentes à Vara onde são tomadas as providencias cabíveis.


Entre os agentes que dão sequência na atuação compondo a segunda turma, está Murilo Souza, ele encerrou sua gestão como coordenador e agora é sucedido por Girlan Pereira, que também veio da primeira turma. “Nosso trabalho foi feito com frequência e com bons resultados; em cujo período intensificamos as fiscalizações tendo como resultado a inibição de infrações feitas no que diz respeito a violação dos direitos das crianças e dos adolescentes”, lembra Murilo, assegurando que o trabalho continua e espera a contribuição dos donos dos recintos fiscalizados, não permitindo a entrada e permanência de menores neste tipo de ambiente.

 

Para Girlan Pereira, agora coordenador da equipe, o trabalho já realizado foi compensador e trouxe bons resultados. “Houve trabalhos educativos e distribuição de portarias no perímetro urbano. Agora, o que precisamos é de avançar para as escolas, vilas e zona rural”, planeja Girlan, dando conta de que a estrutura do Poder Judiciário nem sempre é suficiente.

Ainda de acordo com Girlan, muitos pais não tem o controle da família e aí se faz necessária a intervenção dos agentes e, em alguns casos, da justiça.

A nomeação e posse dos agentes se deu na Sala do Júri do Fórum de Parauapebas no bairro Cidade Nova.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também