Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Sem acordo com Prefeitura de Parauapebas, Sintepp entra na justiça para bloquear recurso federal

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O Sintepp (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública no Pará) entrou com uma medida cautelar para bloquear temporariamente cerca de R$ 62 milhões de reais liberados pelo Governo Federal pelo Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério) para ser aplicado na educação de Parauapebas.

Os professores da rede municipal de ensino cobram que o recurso seja aplicado integralmente na educação e que o rateio seja definido em 60% como abono salarial aos educadores e 40% como investimento no ensino. De acordo com o Sintepp, várias prefeituras entraram na justiça entre os anos de 1997 e 2006 contra a União. O município de Jacundá (PA) também recebeu a verba federal, mas a prefeitura do município já entrou em acordo com a categoria.


Nesta quinta-feira (15), professores realizaram um protesto na Câmara Municipal de Parauapebas com cartazes durante a sessão extraordinária marcada para votar a LOA (Lei Orçamentária Anual). De acordo com Raimundo Moura, coordenador do sindicato, os trabalhadores foram “provocar” os parlamentares para obter apoio e negociar com o executivo a aplicação dos recursos.

Em entrevista à nossa equipe de reportagens, Moura afirmou que a Prefeitura de Parauapebas está se negando a discutir o assunto. Ele informou também que esta semana, mesmo com a presença do prefeito em reunião, as negociações não tiveram avanço.

Na segunda-feira (12), centenas de professores estiveram na prefeitura, quando ocorreu também uma reunião com membros da Semed (Secretaria Municipal de Educação) e com o chefe de gabinete Wanterlor Bandeira, mas o encontro também não surtiu efeito.

De acordo com o sindicato, em reunião o governo municipal havia justificado que não poderia negociar a destinação da verba por desconhecer o recurso, mas procuradores do município teriam ido por mais de uma vez à sede da Justiça Federal em Marabá (PA), se inteirar do processo referente à verba, o que para a categoria seria um indicativo de que o município pretende burlar a legislação para fazer aplicações em outros setores, além da educação.

Nós entramos em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, e assim que tivermos um posicionamento oficial da administração municipal, estaremos divulgando juntamente com a reportagem.

Reportagem: Jéssica Diniz / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também