Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Sempror promove intercâmbio entre grupo de costureiras de Parauapebas e Canaã

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Sucesso total. Assim pode ser resumido o intercâmbio ocorrido na manhã da última quinta-feira, 01, entre os grupos de costureiras da Vila Sanção e Paulo Fonteles, com os grupos de Canaã dos Carajás, o intercâmbio aconteceu na

Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Canaã dos Carajás (Agência Canaã).
“O objetivo principal era a troca de experiências, aprendizado e conhecer histórias que servem de motivação para que as mulheres se organizem. Mais do que experiência, foi uma injeção de ânimo para as nossas costureiras. Pequenas ações que constroem sonhos e transformam vidas”, destaca Raquel Rosa, assessora técnica da Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror), que articulou o encontro.


Logo na chegada à sede da Agência Canaã, as costureiras de Parauapebas foram recepcionadas com uma calorosa apresentação dos grupos Criativas, Fios de Ouro e os membros da Economia Popular Solidária (EPS), além dos servidores da Agência Canaã. Fizeram parte do encontro representantes da Vale e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O grupo conheceu o Projeto de Fortalecimento do Grupo de Mulheres Assentadas PA União Américo Santana (Ipomea), que oferece cursos como de costura e de crochê e por meio do qual as mulheres foram capacitadas, por um especialista, em sabonetes artesanais com essências florestais típicas da região. Todos os projetos visitados contam com o apoio da Empresa Vale, poder público e da Agência de Desenvolvimento.
“Esse encontro representa o resultado do trabalho de educação ambiental. Hoje, é o encontro de mulheres, mas já tivemos aqui na Agência Canaã outros encontros de fortalecimento das atividades rurais, pois a população não pode depender unicamente das atividades minerárias; ela precisa se fortalecer economicamente”, defendeu Telda Lima, analista do Ibama de Brasília, que fiscaliza os programas sociais e ambientais que são condicionantes para o licenciamento ambiental da Vale.

A técnica destacou ainda ser de fundamental importância a realização de programas de empoderamento feminino nos dois municípios e que os mesmos deverão ter mais apoio do órgão licenciador.
Também foram visitados o viveiro de plantas e a feira municipal, porém, a ênfase maior ficou por conta do trabalho com as costureiras. Muitas histórias de transformação social foram compartilhadas pelos grupos. Na rodada final de conversas, Graça Reis, diretora da Agência Canaã, contou sua história de vida e motivou as mulheres com mais união e novos encontros que deverão acontecer em Parauapebas.

“A ajuda da Secretaria Municipal de Produção Rural ampliou nossa visão para seguir em frente com mais segurança. E esse intercâmbio, com certeza, ajudou muito a todas nós. Cada grupo tem algo diferente para ensinar, e nós precisamos disso porque conhecimento é sempre bom. Trocando ideias nós aprendemos muito nesse dia de hoje, e estou mais motivada a continuar no programa e um dia abrir meu próprio negócio”, disse Marta Sabino de Sousa, aluna do curso de costura há três meses.

Reportagem: Diego Santana

Publicidade

Veja
Também