SÉRIE PARAUAPEBAS 33 ANOS: Darci Lermen: o ex-seminarista que tornou-se prefeito por quatro vezes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Darci Lermen vem fazendo história em Parauapebas

A vida do menino Darci Lermen foi tranquila no interior do Rio Grande do Sul ao lado dos pais e dos irmãos. Ele Nasceu em Santo Cristo dia 19 de abril de 1965 (56 anos), ou seja, Dia do Índio e dia do nascimento do Rei Roberto Carlos. Não seria Rei da Música, mas Rei de Eleições em Parauapebas (PA), cidade que administra agora pela quarta vez e que nesta segunda-feira, 10 de maio, completa 33 anos de emancipação política e administrativa.
Filho do agricultor Ottilo Lermen e da dona de casa Adelaide Lermen (já falecidos), Darci tem cinco irmãos: um homem, Vidal, e quatro mulheres: Nair, Elaine, Lurdes e Márcia. Todos moram no Rio Grande do Sul. Seu Otiilo tinha uma propriedade rural de 12 hectares (no Pará, um pouco mais de dois alqueires). “Lá, se plantava um pouco de tudo e criava um gadinho de leite”, lembra ele.

Suínos


Segundo Darci, “Santo Cristo sempre foi um município pequeno e hoje conta com 14 mil habitantes”. A força econômica é a agropecuária. “O município é o maior produtor de suínos do Rio Grande do Sul, sendo a maior parte produzida pela agricultura familiar e o segundo maior produtor de leite do estado. A maior parte da minha família trabalha com produção de suínos”, revelou.

Seminário

Quando garoto, ele ajudava o pai na roça e estudou até aos 12 anos de idade no povoado Linha Guaraipo, município de Santo Cristo, no noroeste gaúcho onde morava. “A gente só ia na cidade, que ficava a 20km, em um momento muito raro: quando era preciso extrair um dente que doía muito ou para algum tratamento de saúde. Aproveitava e tomava um sorvete”, disse Darci, ressaltando que sua “infância foi muito boa, porque ajudava o pai na roça quando podia e estudava muito, porque queria ser padre”. Ainda com 12 anos, em 1978, Darci ingressou no Seminário. Fiquei lá até 1989. “Fiz o ensino fundamental no Seminário João XXII em Campina das Missões em 1978-1979 O ensino médio foi no Seminário São José Cerro Largo entre 1980 e 1983. E depois, estudei no Seminário Adolpho Gallas, entre 1984 e 1987, onde me formei em Filosofia, e no Instituto Missioneiro de Teologia em 1988-1989, onde fiz o curso de Teologia, mas não cheguei a ser ordenado padre. Desisti”, contou o prefeito.

O casal Darci e Viviane e os filhos Rhayana e Bruno

 

Cantinas comunitárias

O seminário desenvolvia o Projeto Igrejas Irmãs em várias cidades do Brasil e no Pará, este trabalho vinha sendo feito em Marabá. “Lembro que um padre sempre levava filmagens sobre aldeias e garimpos e da selva amazônica e mostrava para a gente as imagens em slides lá no seminário”, destacou. Aquelas imagens da bela natureza paraense foram encantando e despertando o interesse do jovem Darci pelo o Pará. Ele fez a primeira viagem para Marabá e Parauapebas em 1990. Em 1991, decidiu vim para Marabá e trabalhar no Projeto Fase, ainda como seminarista, mas não ficou muito tempo. Depois, foi trabalhar com um casal italiano na implantação do Projeto Cantinas Comunitárias, no município de Parauapebas, onde se vendiam insumos para os agricultores com preço bem abaixo do mercado. “Para ir para o Cedere I, às vezes a gente demorava muito, por causa dos atoleiros ou às vezes tinha que esperar mais de um mês a chuva diminuir na região para podermos chegar lá. Era uma vida difícil. De muita luta e determinação”, afirmou.

Darci em discurso de campanha na eleição do ano passado

Cooper

E 1997, Darci e outros companheiros, entre os quais o atual secretário de Produção Rural de Parauapebas, Milton Zimmer, também do sul país, decidiram criar a Cooperativa dos Produtores Rurais da Região de Carajás (Cooper), que vende as deliciosas polpas de frutas da Tentação Amazônica. “Desenvolvíamos um trabalho social fazendo com que os pequenos agricultores pudessem produzir em suas hortas. Lembro que lá em Canaã dos Carajás, que também era de difícil acesso, por causa das péssimas estradas, ajudamos muitas famílias, entre quais a do João Leite, do Gaúcho da 14, do Calango, do Irineu, do Miguel, do Pena, do Jorginho, do Nadir e do Viana da 14. Esse pessoal todo vendia no Projeto Cantinas Comunitárias e comprava seus insumos mais baratos para produzir mais e mais na agricultura”, comentou Darci.
Anos depois (atualmente, como prefeito), passou a apoiar a agricultura familiar. “Por lei, temos a obrigatoriedade de comprar 30% dos alimentos adquiridos pela prefeitura da agricultura familiar, mas nossa meta é comprarmos toda a produção”, disse Darci, acrescentando que no ano passado e neste ano, estas compras foram prejudicadas devido à pandemia da covid. “Mas não deixamos as crianças dos produtores rurais na mão. Implantamos o Vale Alimentação no valor de R$ 50,00 e beneficiamos 47 mil crianças, já que os pais podem comprar com este valor a merenda para os filhos que estão nas escolas”, frisou.

O prefeito Darci Lermen concedeu entrevista ao programa Conexão Rural no estúdio do Pebinha de Açúcar em novembro do ano passado

 

Cinturão verde

O prefeito disse ainda que a meta é implantar muitos projetos que beneficiem o homem do campo, principalmente na horticultura. “Vamos fortalecer o Cinturão Verde de Parauapebas, beneficiando os acampamentos ao redor da cidade, da PA 275, da Fetraf, os agricultores independentes da área de Seu Dão, na saída para Curionópolis, o programa de Fruticultura, inclusive com projetos de irrigação nas áreas mais secas. Além disso, já estamos implantando o Projeto Leite a Pasto, em que os produtores produzem mais e com genética de qualidade no sistema de pasto rotacionado e na área da piscicultura vamos oferecer tratores para a escavação dos tanques”, afirmou.
Como tem original na zona rural, o prefeito Darci pretende melhorar a vida do homem do campo no município de Parauapebas e dará prioridade para as obras de infraestruturas. “Já asfaltamos e recuperamos algumas pontes na zona rural, mas vamos fazer muito mais, para que o produtor rural possa ter garantia do escoamento de sua produção. Vale lembrar que Parauapebas tem mais de 2.500 km de estradas vicinais e principais e realmente em época de chuva surgem muitos atoleiros. E mais: vamos fortalecer os projetos que beneficiem diretamente as famílias do homem do campo, como internet de qualidade, postos de saúde e escolas para as famílias dos produtores rurais”, afirmou.

Primeiro casamento

Em Parauapebas, Darci se casou com a professora Odilza, com quem teve dois filhos: Thiago e Ciro.

Segundo casamento

Tempos depois o casamento com a professora Odilza acabou e ao ir passear na Bahia, há 15 anos, Darci conheceu e se apaixonou pela jovem Viviane, com quem se casou oficialmente dia 24 de junho de 2017. O casal tem dois filhos: Bruno e Rhayana.

Eleições

Te tanto se envolver com projetos sociais e depois de ter sido também professor por alguns anos, Darci Lermen resolveu entrar na política. Foi candidato a vereador em 1996 e teve apenas 189 votos, mas isso não o fez desistir da política. Deu foi mais força para ele. Em 2000 se candidatou a prefeito e perdeu a eleição para a candidata Bel Mesquita, que conseguiu a reeleição pelo PTB. Mas aí, esperou com paciência, continuou trabalhando no social e nos bastidores e em 2004 foi eleito pela primeira vez prefeito e Parauapebas, assumiu em 1º de janeiro de 2005 e foi reeleito em 2008. Quatro anos depois, após o mandato de Valmir Mariano, se elegeu em 2016 e em 2020 foi reeleito para o quarto mandato como prefeito de Parauapebas.

Darci, Lima Rodrigues e o vice-prefeito João do Verdurão

 

Parauapebas

“Parauapebas é a cidade que vi crescer e cresci com ela. Aqui passei momentos bons e difíceis. Por isso, representa muito para mim. Aqui é a cidade onde, como eu, milhares de pessoas tiveram oportunidade de melhorar de vida”.

veja também