Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Servidores da saúde e educação que estavam em greve há 22 dias recuam e voltam a seus trabalhos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O anúncio oficial foi dado durante a Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores de Parauapebas que foi realizada na tarde desta terça-feira (14) por representantes dos sindicatos que representam os servidores públicos da saúde e educação.


De acordo com os líderes dos sindicados, o movimento grevista não acabou, apenas foi recuado para que os munícipes de Parauapebas não sejam ainda mais prejudicados com a paralisação que já afetava a cidade há 22 dias.

Confira na íntegra as palavras de Raimundo Gomes Bezerra, Diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Pública, proferidas na tribuna da Câmara Municipal de Parauapebas.

“Fizemos uma deliberação e nós viemos à tribuna informar que os trabalhadores do município que estavam em greve, resolveram recuar o movimento, mas com o sentimento de dever cumprido e que fizemos a cobrança do que é direito do trabalhador. Então, neste sentido nós fomos á sociedade e expomos as dificuldades enfrentadas pelos servidores da saúde e da educação e em especial queremos dizer que não nos sentimos derrotados. Neste momento, recuamos o movimento com tremenda preocupação com a população de Parauapebas. Na pauta dos trabalhadores, além da questão salarial e vale alimentação, estava presente também a reivindicação de melhores condições de trabalho para que se tenha material dentro dos locais de trabalho. Para que vocês tenham uma ideia, nós temos o Posto de Saúde do Rio Verde que está quase para cair na cabeça dos servidores e nós fizemos a greve para mostrar para a sociedade de Parauapebas a realidade.
Nós precisamos corrigir os erros e chegar no hospital, por exemplo, e termos o devido atendimento que não tem.
Nós deixamos o movimento com extrema preocupação de como será o projeto político deste governo com a sociedade de Parauapebas, nós precisamos dizer que estamos preocupados, porque tem muita coisa que não está sendo como deveria ser.
É preciso intensificar a política de investigação da gestão pública e apurar onde estão tendo os problemas e externar para a sociedade e não vamos aceitar que esta gestão não faça aquilo que é melhor para Parauapebas.
Apenas recuamos a greve e vamos buscar nossos direitos via judicial, uma vez que tentemos negociação e fomos vencidos de certa forma por uma gestão que se quer sentou a mesa com muita clareza e números nas mãos para negociação com os servidores.
Nosso movimento foi vitorioso, apenas recuamos e não desistimos e a qualquer momento voltamos e não vamos deixar que nossos direitos sejam lesados”, destacou Raimundo Gomes Bezerra.

Publicidade

Veja
Também