Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Servidores públicos fazem manifestação e Presidente da Câmara cancela sessão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Representados pelos sindicatos SINTEPP e SINSEPPAR, vários servidores públicos que estão em greve pelo sétimo dia consecutivo em Parauapebas, alegando o não cumprimento de acordos fechados com o Prefeito Valmir Mariano (PSD), fizeram uma manifestação com o uso de apitos, faixas e muitos gritos durante a Sessão Ordinária que acontecia na tarde desta terça-feira (7) na Câmara Municipal de Vereadores de Parauapebas.

Presidida por Ivanaldo Braz (PSDB), a Sessão Ordinária desta terça-feira estava com uma pauta bem extensa, porém, como os servidores estavam fazendo barulho com apitos e praticamente não deixando os parlamentares apresentarem seus respectivos projetos, o Presidente da Câmara cancelou a sessão e convocou os parlamentares para a Sessão Solene em alusão Dia do Evangélico que ocorrerá no próximo sábado (11) às 9h00.


Comissão de servidores públicos sendo recebida por vereadores
Comissão de servidores públicos sendo recebida por vereadores

Comissão é recebida

Assim que Sessão Ordinária foi cancelada por Ivanaldo Braz, uma comissão de vereadores formada por Miquinha (PT), Eliene Soares (PMDB), Euzébio Rodrigues (PT), Antônio Massud (PTB), Charles Borges (PROS) e Lidemir (PR), recebeu representantes dos grevistas que mais uma vez apresentaram as pautas de reivindicações que motivam a greve geral.

Prefeitura comenta

Na tarde desta terça-feira (7), a Prefeitura Municipal de Parauapebas por meio de sua Assessoria de Comunicação (ASCOM), divulgou uma nota sobre a greve dos servidores públicos, confira na íntegra:

“Nos últimos dias, a Prefeitura de Parauapebas vem sendo criticada pelos Sindicatos dos Servidores, que decidiram entrar em greve, apesar do acordo com a categoria ter sido cumprido pela Prefeitura. A justiça considera a greve abusiva e cobra dos sindicatos uma multa de 50 mil reais por dia de paralisação.
Foram muitos os avanços realizados em prol do servidor público: implantação do vale alimentação no primeiro ano de governo, realização de concursos públicos com mais de 2 mil vagas.
Reajuste salarial de 41,28% somando os quatros anos da atual gestão. Em 2016, o reajuste foi de 11.27%, o maior do estado do Pará.
A Prefeitura concedeu ainda adicional de periculosidade para os servidores em cargos de risco e ofereceu diversos cursos de capacitação.
Com relação às condições de trabalho, foram construídas 20 escolas com salas climatizadas e 12 foram reformadas e ampliadas.
E mais: construção da UPA e Policlínica, reforma e ampliação das unidades de saúde e do hospital municipal.
O Governo municipal reforça que em nenhum momento deixou de cumprir o compromisso com o servidor público, mesmo num cenário de crise econômica, e vem trabalhando para fazer de Parauapebas uma cidade a cada dia melhor”.

Sinseppar calado

A equipe de reportagem procurou a direção do Sindicato dos Servidores Públicos de Parauapebas (SINSEPPAR), para se posicionar sobre o assunto, porém, Carlos Alessander afirmou que iria sentar com a categoria para avaliar algumas postagens feitas pelo Portal Pebinha de Açúcar e posteriormente se posicionaria.

Sintepp se manifesta

A Coordenadoria do Sintepp entrou em contato com o Portal Pebinha de Açúcar e enviou a seguinte nota:

“Resumo do ato na Câmara Municipal de Parauapebas. Antes da seção o Carlos do Sinseppar havia garantido um espaço para os dois sindicatos usarem a tribuna, no entanto, seguindo o exemplo do prefeito, a mesa diretora da Câmara que mais parece uma extensão do executivo, descumpriu o acordo com os servidores, permitindo que apenas o Sinseppar se manifestasse, motivo que gerou revolta nos servidores, levando-nos a protestar com palavras de ordem contra esse desrespeito da mesa diretora que em menos de 5 minutos encerrou a seção. Essa atitude vergonhosa do vereador Braz, presidente do legislativo municipal, revoltou não somente os servidores em greve como também um grupo de 6 vereadores que permaneceram na plenária e ouviram uma comissão dos grevistas e se comprometeram em tentar intermediar a reabertura da mesa de negociação, diretamente com o Prefeito que chega na cidade quinta-feira. Os vereadores que conversaram com os servidores foram: Eliene, Massud, Charles, Miquinha, Eusébio e Lidemir. Enquanto os demais vereadores preferiram mais uma vez virar as costas para o servidor de forma covarde e debochada. Repudiamos mais esse desrespeito”Raimundo Moura / Coord. Geral Sub-sede Sintepp.

Publicidade

Veja
Também