Silêncio nos hospitais como fator importante para o restabelecimento da saúde

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Profissionais de enfermagem do HYT promovem a conscientização sobre o silêncio no ambiente hospitalar

Enfermeira do Hospital Yutaka Takeda explica os benefícios do silêncio durante tratamento

De acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), o barulho em hospitais não deveria passar dos 30 a 40 decibéis, ou seja, o volume de conversas sussurradas.


Tainara Lopes de Moraes, enfermeira do Hospital Yutaka Takeda (HYT), localizado em Parauapebas, explica que o silêncio  é sinônimo de tranquilidade e relaxamento, principalmente no ambiente hospitalar.

“Quando se trata desse tipo de ambiente, ele é ainda mais importante, pois contribui para promover o conforto, favorecendo a recuperação do paciente e a concentração indispensável ao profissional de saúde”, afirmou.

Certamente, aparelhos que emitem sons, como ventilares, monitores cardíacos, interfones, campainhas e telefones estarão presentes em internações, emergências e salas cirúrgicas.

“Os ruídos causam diversos prejuízos aos pacientes, como hipertensão arterial, taquicardia e alterações do fluxo sanguíneo cerebral. Tudo isso dificulta o processo terapêutico de cada paciente”, explica a profissional.

Sem dizer uma única palavra e com um delicado bom humor, uma equipe de enfermeiras circulou pelo hospital abordando gentilmente pacientes, acompanhantes, visitantes e profissionais da instituição.

De acordo com a Tainara, quando a poluição sonora é proveniente de acompanhantes, enfermeiros, médicos e colaboradores, a conscientização precisa ser prioridade.

Para incentivar a prática do silêncio entre colaboradores e pacientes na unidade hospitalar gerenciada pela Pró-Saúde, uma campanha com o tema “A voz do silêncio” foi implantada no HYT.

A ação vem sendo desenvolvida por meio do teatro mudo, com mímicas, gesticulações e imagens, com a intenção de mostrar aos receptores a possibilidade de interação e comunicação eficaz mesmo quando se utiliza a linguagem não verbal.

“Além de ajudar os pacientes, o controle de ruídos também coloca em xeque a gravidade dos riscos ocupacionais que os funcionários estão expostos diariamente, comprometendo não só o desempenho de suas atividades profissionais, mas também a sua qualidade de vida”, conclui.

Qualificação assistencial

Reconhecido como um dos melhores do Brasil, o Hospital Yutaka Takeda, localizado em meio a Floresta Nacional de Carajás, no Pará, realizou mais de 200 mil atendimentos em 2020.

A unidade foi construída pela Vale em 1986 e é gerenciado, desde 1997, pela entidade filantrópica Pró-Saúde. Possui certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA).

Além disso, o Yutaka Takeda foi a primeira unidade de saúde no Brasil certificada pelo Programa Nacional de Qualidade (PNQ), do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen).

Publicidade

veja também