Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Sindicato Metabase anuncia Acordo Coletivo entre Vale e funcionários aprovam em primeira votação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O Sindicato Metabase Carajás anunciou mais uma vez, na última semana, avanços do Acordo Coletivo (2016/2017) firmados entre a mineradora Vale e funcionários.

O presidente do Metabase, Raimundo Nonato Amorim, o Macarrão, juntamente com sua equipe, estiveram comunicando os cooperadores Vale, que aprovaram os ajustes em primeira votação. Mais de 13 mil trabalhadores serão beneficiados.


Conforme o sindicalista, apesar da crise vivida pelo país, o Metabase enxerga como positivo os benefícios alcançados pela classe após longa negociação com a mineradora. Numa folha salarial que ultrapassa os R$ 40 milhões, os funcionários conquistaram 8,5% de aumento salarial em ganho real. “Menos de 30% das categorias conseguem esses benefícios aos funcionários. Quando conseguem, são escalonados – de forma parcelada –, nós não, conseguimos de uma só vez”, ressaltou.

Macarrão fala dos avanços conquistados pela classe
Macarrão fala dos avanços conquistados pela classe

Benefícios movimentam o comércio da região – É claro que os benefícios salariais e do cartão alimentação irão fomentar o comércio local, principalmente na época Natalina e Ano Novo.
Em tempos de visível crise é importante essa injeção de ânimo proporcionada pelos aumentos salariais conquistados pelos funcionários. O cartão alimentação que era de R$ 620,00, passa para R$ 700,00 no mês de dezembro. Além de um valor extra de R$ 1.700,00, sendo assim, funcionários Vale terão R$ 2.400,00 de cartão alimentação no último mês do ano. “Imagine esse valor gasto no comércio da Região. É um ganho absurdo para todas as classes, principalmente o comércio local que vive uma crise. São mais de R$ 40 milhões derramados na Praça”.

Educação dos funcionários – Outra conquista dos funcionários Vale são os mais de 70 cursos de tecnólogo e nível superior ofertados por faculdades particulares da região, custeados pela própria empresa.
Para Macarrão, sem dúvida, essa oportunidade de educação dada aos funcionários pela mineradora fomenta também o mercado local. “Os funcionários pagam o curso de tecnólogo ou nível superior e logo são reembolsados pela empresa. Sem dúvida alguma é uma grande conquista adquirida por eles, por meio de negociação entre o Sindicato e Vale. Isso significa dinheiro injetado na economia da região. Não é fácil, mas já temos vários companheiros que começaram no menor cargo Vale e hoje são engenheiros, administradores, técnicos em eletromecânica e outros cargos que requerem qualificação na educação”, finalizou.

Reportagem: Vinicios Nogueira

Publicidade

Veja
Também