Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

SINTEPP ignora liminar judicial e acampa na prefeitura

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Mesmo tendo sido notificada na tarde de ontem (19), quando tomaram conhecimento de liminar, na qual a relatora, Desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, determina que o SINTEPP, Subsede Parauapebas, mantenha em atividade o percentual mínimo de 80% dos servidores da rede pública municipal de ensino de Parauapebas, sob pena de multa diária de R$ 5 mil, limitada ao máximo de R$ 50 mil por dia de descumprimento; e que o SINTEPP se abstenha de impedir o livre acesso da população, sejam alunos, pais e servidores que não aderiram ao movimento e quaisquer outras pessoas, aos prédios onde funcionam os respectivos serviços públicos, bem assim que se abstenha de impedir a saída dos ônibus escolares das garagens, sob pena de multa diária no valor de R$ 5 mil, limitada ao máximo de R$ 50 mil por ato ou dia de descumprimento, a categoria continua parada e desta vez ocupou o prédio da Prefeitura Municipal de Parauapebas, onde acampa desde ontem, 19, ocupando todo o hall e a entrada principal do prédio público.

Mas a ocupação deu ares negativos quando foi colocada na entrada do prédio uma mesa de bilhar, onde os servidores se revezam praticando o jogo. Enquanto isto os coordenadores estavam reunidos no estacionamento, para deliberar a respeito do que será apresentado em Assembleia, a ocorrer em instantes, quando decidirão em comum acordo com os servidores da educação pública municipal se a greve será suspensa ou continua.


 

 

 

De acordo com o coordenador da subsede do sindicato em Parauapebas, Raimundo Moura, mesmo com o TAC que disciplina algumas respostas a pontos específicos da pauta, a categoria espera que os tais atos se concretizem. “O PCCR e a eleição para a direção das escolas pública, por exemplo, até agora não saiu da conversa. Queremos ver isto acontecer”, esclarece Moura, dando conta de que após a assembleia os servidores dispersarão levando a decisão se retomam aos atos de manifestação ou às salas de aulas, na segunda-feira, 23.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também