Soldado do Exército é preso acusado de extorquir garimpeiros

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O soldado identificado como José Welliton Rubim de Sousa, lotado no 1º Grupo de Artilharia de Selva (GAC), em Marabá, região sudeste do estado está entre os presos acusados de tentar extorquir garimpeiros em troca de ouro, na cidade de Cumaru do Norte. A prisão ocorreu no último sábado, 2.

Por meio de nota, a Seção de Comunicação da 23ª Brigada de Infantaria de Selva em Marabá informou que no dia seguinte à prisão, o militar foi conduzido à sede do GAC, que fica na BR-230 na Rodovia Transamazônica, que onde permanece à disposição da Justiça para as investigações necessárias. Ainda no documento, é dito pela instituição: “Reiteramos que o Exército Brasileiro repudia qualquer ato criminoso praticado por militares e não poupa esforços para que seja esclarecido qualquer indício de crime”.


O acusado, José Sousa entrou nas fileiras do Exército Brasileiro em 2018 e sua documentação funcional tem data de validade até o dia 28 de fevereiro 2022.

No momento da prisão, ele se identificou como militar e apresentou a documentação, mas os militares desconfiaram que o documento seria falso, pois os outros quatro envolvidos na ação criminosa não eram militares e estavam se passando por integrantes do Batalhão Ambiental do EB, em uma suposta missão a garimpos na região.

 

veja também