Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Solução para a falta de água no bairro Cidade Jardim chegará nos próximos dias, segundo SAAEP

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

“A situação da água aqui, vou te falar, está calamidade pública. Não temos água”.
“Já tem mais de semana que não chega água de jeito nenhum nas torneiras”.
“Nem sei quantos dias que estamos sem água aqui”.
“É sempre no verão que acontece isso”.

Essas são narrativas distintas de moradores do Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas. Uma situação que, segundo eles, perdura ao longo dos anos, nos quais a população diz buscar solução. Mas, para cuja pergunta ainda não encontraram a resposta, nem mesmo perguntando a autarquia responsável pelo sistema de abastecimento de água. “Eles não dão explicação nenhuma. Entendo que deveria ter explicação para a população contando os motivos da falta d’agua”, reclama dona Francisca Andrade, dona de restaurante.


Francisca Andrade (dona onça), dona de restaurante

 

Essa é a realidade em vários bairros de Parauapebas, mas, parece que o Cidade Jardim, bairro populoso, com cerca de 40 mil habitantes, é o mais castigado. Por isso, a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar foi conferir a situação em que vivem as famílias na 9ª etapa do residencial, e registrou o sofrimento dos moradores para conseguir água.

“É uma situação complicada para mim que tenho duas crianças. Tem dias que não tenho água para beber nem para cozinhar”, conta a dona de casa, Rosiane do Vale, detalhando de que seu esposo após chegar do trabalho sai à procura de água para garantir as necessidades essenciais.

Rosiane do Vale, dona de casa

 

Outro morador da 9ª Etapa do Bairro Cidade Jardim, Raimundo Nonato, mensura que já tem duas semanas que só tem água carregada no balde colhida em torneiras em alguns pontos em que a água chega, sem pressão. “A água não sobe na caixa. E, mesmo nas torneiras, não dura muito. Assim, a gente tem no máximo uma hora para aproveitar e encher alguns reservatórios e se garantir até a próxima oportunidade”, explica o morador, dizendo que, por aqui, cada um se vira como pode.

Mas, de acordo com a direção do Sistema Autônomo de Abastecimento de Água e Esgoto de Parauapebas (SAAEP), a solução para este problema já está a caminho, pois, do reservatório que fica no Bairro Cidade Jardim, partirão dois milhões de litros de água que serão distribuídos por toda a 9ª etapa. “Estamos com uma obra com 11 quilômetros de rede de extensão, sendo concluída; que vai do Parque dos Carajás até na 9ª etapa do bairro Cidade Jardim”, conta Léo Coimbra, gestor da autarquia, detalhando que, após chegar por gravidade no reservatório do “Morro do Amilton”, irá por gravidade até ao local de onde será distribuído para o consumidor final.

Léo Coimbra, gestor do SAAEP

 

Ainda de acordo com Léo, neste verão a população daquela etapa não deveria estar passando por mais essa escassez de água, mas, a obra não foi concluída no tempo previsto em virtude da situação de pandemia de Covid-19, o que causou o atraso na entrega de materiais pelos fornecedores. Porém, prevê que antes do final deste mês, agosto, será inaugurada a primeira fase.

Como paliativo, Léo diz que os carros pipas, dentro do possível, vêm atendendo a população.

As deficiências do SAAEP afetam diretamente a população, mas, a solução já está a caminho. “A gente tem um grande projeto que é o PROSAP, que, no próximo ano, dará um aumento de capacidade em nossas estações de tratamento”, planeja Léo Coimbra.

Mas, enquanto essa nova realidade não chega, a população não se cansa de cobrar. “O que a gente quer pedir para o prefeito é que ele dê um jeito nessa situação. Pois, a gente já paga caro pelos impostos e, sem água, fica ruim”, pede Raimundo Nonato.

Raimundo Nonato, morador

 

Publicidade

Veja
Também