Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Taxista que atropelou e matou mulher dava muito trabalho para o sindicato, afirma vice-presidente

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Até o fechamento desta matéria, o motorista não tinha se apresentado à polícia

“O taxista Reginaldo Carneiro dos Santos, conhecido por ‘Maranhão’, dava muito trabalho pra nós”, declarou à reportagem deste portal de notícias, por telefone, Udeanes de Souza, vice-presidente do Sindicato dos Taxistas, Mototaxistas e Motofretistas de Parauapebas (Sinditáxi).

Segundo o sindicalista, o Sinditáxi e o DMTT receberam várias queixas contra o motorista, que explorava também o serviço clandestino de táxi lotação. “Certa vez, ele bateu numa viatura perto da delegacia”, revela Udeanes de Souza, lamentando pela morte da mulher.


Velho conhecido do DMTT

Ouvido pela reportagem, o coordenador do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte de Parauapebas (DMTT),Glauber Motta, informou que o taxista Reginaldo Carneiro é um velho conhecido do DMTT na prática de transporte clandestino.

De acordo com Motta, o taxista recebeu concessão de táxi em 2016, mas ele vinha fazendo uso indevido da concessão para utilidade táxi lotação. No ano passado, Reginaldo Carneiro se desfez da concessão de táxi e passou a trabalhar como taxista auxiliar. Por explorar o serviço de táxi lotação, o proprietário (concessão 286) do táxi solicitou o descredenciamento dele e este passou para a concessão 179, do taxista Marcos Ribeiro. Por ocasião do acidente, ele dirigia táxi de outra concessão. O DMTT vai instaurar processo administrativo para apurar o caso.

Até o fechamento desta matéria, o taxista atropelador era considerado foragido pela polícia, que continua buscando localizá-lo. O veículo foi localizado e apreendido.

Acidente – O acidente que culminou com atropelamento e morte da mulher Eliana Alves Mendes, 42 anos de idade, conhecida por Lilian, ocorreu por volta das 18 horas deste domingo (16) na Av. Dr. Alfredo Amâncio Filho, antiga Avenida dos Buritis, Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas, quando a vítima atravessava a rua e foi fortemente batida pelo veículo do taxista, um Chevrolet Classic, ano 2015, em nome de Marcos Silva Ribeiro, afiliado da Cooperativa de Táxi Lotação de Parauapebas (Cooptalp).

O Samu foi chamado, prestou os primeiros socorros à vítima ainda no local do acidente com inúmeras fraturas pelo corpo e encaminhou a mulher para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas ela faleceu, deixando dois filhos órfãos.

O velório de Lilian Mendes foi marcado para as 9h30 desta segunda-feira (17) na Igreja Adventista do Sétimo Dia, localizada na Rua N, entre as ruas 16 e 17, no Bairro União, Parauapebas.

Publicidade

Veja
Também