Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Taxistas são acusados de destruir carro de jovem ao confundi-lo com motorista de App

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Dois homens, que seriam taxistas, perseguiram na noite de ontem, domingo, 27, um jovem que tinha acabado de sair com a namorada do show do cantor Wesley Safadão, que aconteceu no estacionamento do shopping localizado na entrada da cidade de Parauapebas. Os dois homens acreditavam que a vítima estava trabalhando como motorista de aplicativo e, após longa perseguição, conseguiram parar o veículo e o destruíram.

Segundo o pai do motorista, Lindembergue de Jesus Santos, os dois homens ainda ameaçaram o filho de morte. Na manhã de hoje, segunda-feira, 28, ele registrou Boletim de Ocorrência na 20ª Seccional e a polícia se comprometeu a solicitar as imagens das câmeras de segurança que ficam às proximidades do shopping, para tentar identificar os acusados.


Lindembergue, que é motorista de aplicativo, contou nesta manhã, segunda-feira (28), ter descoberto onde está o carro usado pelos acusados e afirma que o veículo está com um homem que mora no Bairro Vale da Serra. Essa pessoa, segundo ele, alegou que aluga o veículo para trabalhar e que, na noite de ontem, não trabalhou. “Eu falei para ele que não interessa quem seja o dono do táxi, quem estava dirigindo ele na noite de ontem vai pagar pelo prejuízo no carro do meu filho”, diz Lindembergue.

Conforme ele, o filho, após o show terminar, saiu com a namorada e a deixou próximo à parada de van, ao lado do shopping, indo em seguida pegar o veículo que tinha sido estacionado longe dali, devido ao grande movimento. Quando ele parou o carro para ela embarcar, já foi abordado por dois homens, dizendo que ele era motorista de um aplicativo famoso.

“Ele disse que não era e que a moça era namorada dele. Mesmo assim, eles continuaram o agredindo com palavras. Com medo, meu filho acelerou o veículo e saiu e os dois homens entraram em um táxi e saíram atrás dele. No Bairro W Torres, após chegar em uma área erma, eles o fecharam. Ele parou o veículo e saiu correndo com a namorada dele. Nessa hora, os homens começaram a destruir o veículo e fazer ameaças de morte contra ele”, detalha.

Ainda segundo Lindembergue, a namorada do filho conseguiu ligar para o sogro e quando estava relatando os fatos, um dos homens tomou o celular da mão dela e o ameaçou também. “Ele disse ‘você também é. Vem aqui. Nós já quebramos um e vamos quebrar outro’. Eu disse que estava indo lá. Por sorte deles ou minha, quando cheguei eles já tinham ido embora”, conta.

Lindembergue afirma que apenas na noite de ontem três outros colegas de aplicativo sofreram ameaças de taxistas. “Tá difícil trabalhar. É ameaça direto”, relata, afirmando que estão marcando uma reunião, inclusive com representantes de taxistas, para tentar resolver a situação através do diálogo, antes que aconteça uma tragédia, como a que quase aconteceu com o filho.

Procurado pelo reportagem, o presidente do Sindicato dos Taxistas de Parauapebas, Valmiro Silva, afirmou que ainda não estava sabendo do ocorrido e se disse até surpreso. Conforme ele, faz bastante tempo que os taxistas passaram a ter tolerância com o sistema de aplicativo, que chegou à cidade há dois anos.

O sindicalista disse que pretendia se inteirar da situação e tomar as providências cabíveis caso o fato tenha sido em retaliação ao aplicativo. “Eu acredito que o caso possa estar relacionado a outra situação, mas se foi devido ao rapaz ter sido acusado de ser motorista de aplicativo, as providências serão tomadas, porque não aceitamos esse tipo de situação, de violência”, assegurou Valmiro.

Publicidade

Veja
Também