Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Tecnologia 3D a serviço das operações da Vale em Carajás

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A tecnologia é projetada sobre uma superfície plana, como uma mesa. Por meio dele, é possível mover a projeção para os lados, retirar telhados, girar 360 graus e ajustar o zoom. Dessa forma, o operador consegue ter a percepção da área operacional como um todo antes mesmo de ser acessada, facilitando a compreensão dos riscos de segurança do local.

Com base no mesmo projeto tridimensional, a Vale elaborou também um jogo eletrônico do abastecimento de locomotivas. Durante o game, o empregado pode executar as tarefas de abastecimento de forma interativa. O principal objetivo é facilitar o entendimento dos operadores de forma lúdica.


Tecnologia 3D

A tecnologia 3D já vem sendo utilizada nas operações da Vale há algum tempo, com a Sala de Realidade Virtual. Implantada em Minas Gerais e Idealizada por empregados, desde 2011, a sala conta com uma tela de 6 x 4 metros, onde os usuários podem interagir com as imagens projetadas simplesmente realizando movimentos com as mãos.

Todos os recursos da Sala de Realidade Vitrual podem ser usados para treinamentos, testes, análises nas etapas de avaliação de risco, planejamento de ações de segurança, estudos geológicos, geotécnicos e ambientais, além da interação para apresentação de diversas pesquisas.

Óculos especiais, escurinho e um telão. Parece cinema 3D, mas, na verdade, é nossa Sala de Realidade Virtual, implantada em Minas Gerais. O filme em cartaz? Um sobrevoo virtual em 3D sobre todas as operações da Vale no Brasil. A iniciativa é pioneira na indústria mineral no mundo.

Realidade virtual, planejamento preciso

Idealizada por empregados, desde 2011, a tecnologia contribui para a tomada de decisão em diversos aspectos das operações e projetos da Vale: da definição da área de lavra, aos cenários de licenciamento ambiental e até o fechamento da mina.

Todos os recursos podem ser usados para treinamentos, testes, análises nas etapas de avaliação de risco, planejamento de ações de segurança, estudos geológicos, geotécnicos e ambientais, além da interação para apresentação de diversas pesquisas.

Como funciona?

A tela tem dimensões de 6 x 4 metros e até 14 pessoas podem interagir com as imagens projetadas simplesmente realizando movimentos com as mãos. Além de uma sala fixa, a Vale também possui tecnologia de realidade virtual portátil.

Mas, afinal, como isso é possível? Desde 2000, a Vale vem montando bases de dados geográficos de suas áreas de atuação, com investimentos em imagens de altíssima resolução. Fazemos aerolevantamentos 3D com geotecnologia laser e montamos modelos digitais tridimensionais.

Galeria de fotos

Parceria com Serviço Geológico Britânico

O uso de realidade virtual na mineração teve como inspiração os conceitos do Serviço Geológico Britânico. Fundado em 1835, a British Geological Survey é o mais antigo centro de pesquisa geológica do mundo e o principal do Reino Unido. Em 2013, a Vale fechou uma parceria com a instituição. O objetivo é agregar as tecnologias da empresa britânica às que já usamos na Vale.

O mapa da mina na palma das mãos

Com tablets, geólogos que estão em campo podem consultar e atualizar, em tempo real, as informações da área de estudo.

Publicidade

Veja
Também