Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Terezinha de Jesus atrai multidão em arrasta-pé escolar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Pipoca, vatapá, canjica, bolo de milho, brincadeiras e muito arrasta-pé. “A fogueira estava queimando em homenagem a São João”, como diria o rei do baião, Luiz Gonzaga, e a Escola Municipal de Ensino Fundamental Terezinha de Jesus “botou quente” nos festejos, atraindo cerca de 2.000 pessoas do Bairro Cidade Jardim para a atração realizada na frente da unidade educacional.

Era por volta das 19 horas de sábado (24), e o pedreiro José Alencar da Silva, pai de aluno, cantava animado, alegando que a escola conseguiu tirá-lo de casa, em pleno dia de seu descanso, porque a notícia correu solta na comunidade de que a quadrilha junina da Tarezinha de Jesus estava muito animada.
“Eu ia me deitar cedo hoje, estava cansado. Mas minha mulher queria trazer as crianças à quadrilha e me chamou. Eu só vim porque um vizinho nosso passou aqui na festa e disse que estava bacana. Não me arrependo”, contou Alencar, dizendo que, se deixasse, ele teria energia para ficar até o sol raiar.


De acordo com a diretora do estabelecimento de ensino, Ivone Marçal, todos os servidores se envolveram na organização do evento, que é uma estratégia de também dar adeus ao semestre letivo, o qual está chegando ao fim. “A gente trabalha bastante e é importante promover um momento de descontração. A equipe da escola está muito feliz com o resultado”, declarou Ivone, destacando que a programação teve início às 18 horas e foi encerrada às 22.

 

EVENTO DE SUCESSO

A reportagem do Pebinha de Açúcar deu um giro pela cidade de Parauapebas para conferir os eventos paralelos ao tradicional festejo Jeca-Tatu, realizado na Praça de Eventos, Bairro Cidade Nova. No Cidade Jardim, conferiu que a quadrilha da Escola Terezinha de Jesus foi a programação mais povoada e sem confusão. O bairro, que tem cerca de 25 mil habitantes, também teve uma ou outra programação de rua, mas a escola conseguiu atrair até pessoas das adjacências, como a jovem Rita de Cássia Alves, 19 anos, que saiu das Casas Populares 2 para se divertir no arraial do Terezinha de Jesus. Toda emperiquitada para se mandar à Praça de Eventos com o namorado depois dali, onde iriam assistir ao festival Jeca Tatu, Cássia disse que a festinha escolar estava “show”.

Para o titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Raimundo Neto, ouvido sobre os festejos realizados por algumas escolas municipais, é importante as unidades de ensino criarem estratégias para aproximar a comunidade em que se inserem do ambiente escolar. “Não há razão de a escola ficar presa em si mesma, entre muros. A escola é um espaço de socialização do conhecimento, e os festejos juninos socializam o trabalho de meses dos profissionais da educação com a comunidade, enfocando no entretenimento, tudo realizado sempre de forma ordeira”, destaca o secretário.

Todas as pessoas ouvidas pela reportagem aprovaram o evento e houve até quem indicasse repeteco. “A Terezinha de Jesus já pode fazer outro desse na volta às aulas, se quiser”, gritou um gaiato adolescente, enquanto arrochava no forró.

 

Publicidade

Veja
Também