Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Trabalhador acusa mineradora Vale de o demitir com suspeita de câncer

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

E foi depois de um atrito com um ‘amigo de trabalho’ que o soldador Jackson Veloso Silva, empregado na mineradora Vale em Parauapebas há cerca de três anos foi demitido por justa causa.

Ele procurou a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar para contar que atuava no +40 e quando retornava para Parauapebas, por volta das 17h00 do dia 27 de julho de 2016, perguntou ao ‘amigo’, Márcio Rodrigues Santos, mecânico, se ele tinha, como de costume, algum lanche para compartilhar e ouviu deste que não era seu pai e que o único filho que tem mora em Brasília.


Mas o ‘caldo engrossou’ quando Jackson insinuou, em tom de brincadeira, que o filho poderia não ser dele; diante disso, Márcio teria o agredido com um soco na boca. A turma do ‘deixa disso’ entrou em ação e não permitiu que os dois se atracassem em luta corporal e os tirou do local, em carros separados.

As brincadeiras de ‘mau gosto’ perduravam e no outro dia, dentro do ônibus, Márcio e os demais trabalhadores já ‘zoavam’ Jackson que admite ter dado um tapa em Márcio; ato que foi notado pelos supervisores que interviram.

Como resultado da quezila, Jackson foi demitido por justa causa, já Márcio teria sido transferido para outra área.

Mas os problemas de Jackson na empresa não se atinham apenas na agressão praticada pelo ‘amigo de trabalho’. De acordo com suas narrativas, um acidente de trabalho sofrido por ele quase não era relatado porque o supervisor Júlio César Moreira teria recomendado que não fizesse relatório. “Ele falou que eu estava com sangue quente e que deixasse para o dia seguinte”, conta Jackson, relatando ainda que usou o rádio e chamou os bombeiros para fazer o procedimento.

Ocorreu aí o primeiro desentendimento entre ele e seu superior, que diante da recusa de entregar a ele o documento que relatava o acidente, segundo Jackson, o ameaçou de demiti-lo. Na opinião de Jackson, o interesse do supervisor em ‘abafar’ o caso era para segurar o índice de acidentes da empresa que já estava elevado.

Resultado: Duas horas depois buscaram Jackson que estava a caminho de sua casa e anunciaram sua demissão por justa causa. O trabalhador ainda argumentou, citando um tratamento por suspeita de câncer adquirido por irradiação emitida pela máquina de solda, porém, nenhum de seus superiores ficaram comovidos.

A situação de Jackson é difícil: desempregado, sem dinheiro e impossibilitado de trabalhar. Já que a demissão foi por justa causa, ele afirma não ter recebido nenhum recurso indenizatório.

Como agravante para o caso, o trabalhador demitido já estava com cirurgia marcada para fazer biopsia e diagnosticar o problema suspeito de câncer; tratamento que não será mais custeado pela empresa já que ele foi desligado da mesma.

Jackson diz que acionou a Justiça e a audiência está marcada para o próximo ano, mas o problema de dele só se agrava. Enquanto a Justiça não se pronuncia, só resta esperar e contar com o auxílio dos amigos.

Outro lado

A equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Vale, que por sua vez encaminhou a seguinte nota: “A empresa ressalta que preserva a privacidade de seus colaboradores e suas relações de trabalho, e, portanto, não comenta procedimentos de rescisão de contrato nem processos que estejam em análise pelo Poder Judiciário. A Vale reforça ainda que cumpre com as Normas Regulamentadoras, que regem a prática da Segurança e Saúde Ocupacional e determina que seus empregados atuem conforme as obrigações legais. A empresa informa ainda que desconhece, qualquer registro junto a sua Medicina do Trabalho sobre a doença alegada”.

Reportagem: Francesco Costa – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também