Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

TRABALHO SOCIAL: Melhor ensinar a pescar do que dar o peixe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Pastora Mel – Idealizadora do projeto

Trinta e quatro crianças de Parauapebas estão aprendendo a fazer artesanato que vem ajudando na economia da família de cada uma delas

Amanda do Nascimento, neste período de isolamento social por conta da pandemia do novo Coronavírus, entrou em um princípio de depressão. Ela mora no Bairro tropical, em Parauapebas, sudeste do Pará, e esta jovem encontrou um apoio no Centro de Missão Amando o Próximo (CEMAP).
“O dia todo ficava presa dentro de casa, minha mãe não deixava nem comprar pão na esquina, uma tristeza foi crescendo que até pensei em deixar de viver, mas me convidaram para vir aqui aprender a fazer artesanato, mas não queria vir, então, acabei vindo e minha vida mudou, a vida voltou”, diz a estudante com os olhos iluminados.


Amanda do Nascimento

 

O Centro de Missão Amando o Próximo existe há mais de dez anos, e sempre trabalhou em ajudar a levar alimentação para as famílias carentes através de ações que arrecadassem produtos para compor cestas básicas para doar às famílias de mais de 300 jovens que participam do programa social.
“Chegou um momento que a pergunta foi inevitável, doar cestas básicas realmente vai mudar a realidade destas famílias, é melhor dar o peixe ou ensinar a pescar cestas, jovens? De aí surgiu o projeto de implantar a ideia de empreendedorismo nessas crianças”, diz Mel Nascimento, fundadora do CEMAP.

Então a ideia inicial, segundo Mel, era ensinar como ser empreendedor e naturalmente a oficina de artesanato surgiu.
“Infelizmente só podemos abraçar 34 crianças inicialmente, e tudo o que é vendido destes artesanatos é convertido em mais materiais, para produzir mais, e o restante rateado entre todos os alunos, assim eles podem levar a ajuda no ganha pão de cada dia”, Explica a coordenadora do projeto.

O projeto, para seguir em frente, sempre contou com a ajuda dos voluntários, que é o caso de Gardenia Silva, que trabalha como confeiteira, e nos dias de aula, ela ajuda nas atividades com os jovens.
“Tem mais de dois anos que eu comecei a ajudar aqui no CEMAP, e te garanto que a cada dia que venho aqui, volto para casa cheia de aprendizados destas crianças”, relatou de forma emocionada a confeiteira.

Gardenia Silva

 

Quem puder ajudar o Centro de Missão Amando o Próximo, pode procurar a pastora Mel, na Rua B5, Qd. 47, Lt. 2 – Bairro Tropical.

Publicidade

Veja
Também