Traficante é preso em Parauapebas na posse de arma, munições e droga

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Leonardo dos Santos Cintra não foi vitorioso em seu empreendimento, apesar de que seu negócio estava situado no Bairro Nova Vitória.
De acordo com o diretor da 20ª Seccional de Polícia Civil, Delegado Élcio de Deus, há vários dias uma equipe de investigadores vinha monitorado a residência e a movimentação de Leonardo, que, de acordo com denúncias, praticava o comércio de entorpecentes, além de ter posse de arma no mesmo endereço. “As informações chegadas através da denúncia foram apuradas e a equipe optou por fazer a abordagem dadas as circunstancias; e não foi surpresa ao encontrar na casa do denunciado uma porção de drogas e também uma arma de fogo”, contou Élcio de Deus à equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar, mensurando que foram apreendidos 141,3 gramas de entorpecentes, um revólver calibre 38 municiado e vários cartuchos de arma longa.

Detalhes da abordagem – No momento da chegada da polícia à residência de Leonardo, que fica em uma área de difícil acesso no Bairro Nova Vitória, foi notado que a esposa do suspeito, estava no quintal com uma bolsa de criança, motivo que os policiais optaram por também abordá-la, e dentro da citada bolsa, estava a arma.


Com a detenção da mulher, Leonardo saiu da residência e também foi abordado, negando, a princípio, que houvesse drogas no interior do imóvel. “Pedimos o apoio da DEAM e com a chegada de uma policial civil foi possível fazer uma revista minuciosa na mulher, sendo encontrado no seio da mesma a porção de maconha pronta para a venda no mercado varejista”, contou o delegado, acrescentando que Leonardo confessou que, no interior da casa, haviam cartuchos de arma longa, motivo que os policiais fizeram uma varredura no local, onde, além do procurado, encontraram mais entorpecentes que ainda não estavam fragmentados para ser posto à venda.

 

Com o flagrante e a confissão de que praticava o comércio dos entorpecentes e também que tanto a arma, quanto as munições eram dele, Leonardo foi preso e posto à disposição da justiça, devendo responder pelos crimes de tráfico de entorpecentes, previsto no Artigo 33 da Lei 11.343, de 23 de agosto de 2006, e ainda por posse ilegal de arma, crime previsto na Lei 10.826 de 22 de dezembro de 2003.

A esposa de Leonardo, que não teve seu nome revelado, foi ouvida na DEAM. Porém, conforme avaliação da delegada Ana Carolina, titular daquela delegacia, não foram encontrados elementos para manter sua prisão, levando em conta as circunstâncias que a faziam estar naquele ambiente.

Publicidade

veja também