Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Tristeza e revolta marcam sepultamento de cabo da PM em Marabá

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Foi sepultado no fim da tarde de quinta-feira (3), no cemitério de Murumuru, zona rural de Marabá, sudeste do Pará, o corpo do cabo PM Robson da Rocha, 28 anos, pertencente ao 4º Batalhão da Polícia Militar. Uma comitiva da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) acompanhou o velório, ocorrido na igreja Batista, no bairro Morada Nova, distante 12 quilômetros da sede da cidade.

Integraram a comitiva o comandante da PM, coronel Roberto Campos; o secretário adjunto de Gestão Operacional da Segup, coronel PM Hilton Benigno, e o chefe do Centro de Inteligência, coronel Roberto Vieira. Oficiais e praças da PM, integrantes do Corpo de Bombeiros, policiais civis, servidores do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e representantes de outras forças de segurança, como Polícia Rodoviária Federal, também estiveram presentes no velório.


“Lamentamos a morte de nosso policial. Ele cumpriu com o seu dever, de defender a sociedade paraense. Contudo, precisamos refletir. Nós, enquanto polícia, fazemos o nosso papel, prendemos, reprimimos, mas o que podemos fazer para prevenir tudo isso?”, disse o coronel Roberto Campos durante o velório, lembrando que Marlones Silva, responsável pela morte do cabo, já tinha passagem pela polícia e recebeu alvará de soltura em maio deste ano.

Atuação – Com histórico profissional exemplar, durante os oito anos em que serviu e protegeu a sociedade paraense, o militar tinha no registro funcional onze referências elogiosas pelo bom desempenho em ocorrências policiais. Desde o momento da agressão sofrida pelo militar, todo o atendimento médico e psicossocial foi prestado à vítima e familiares, conjuntamente pelo comando do 4º Batalhão e pelo Centro Integrado de Psicologia e Assistência Social, que está tomando todas as providências legais e de assistência junto à esposa do militar.

Robson da Rocha foi morto na última quarta-feira (2) por disparos feitos por Marlones Silva durante perseguição. Após ter conseguido se desvencilhar do agente, o criminoso seguiu de carro para a cidade de Parauapebas, no sudeste do Estado. Na vila Sororó, trocou tiros com uma guarnição da Polícia Militar e acabou morrendo.

Reportagem: Sérgio Chêne

Publicidade

Veja
Também