Vacina é do Brasil, não de nenhum governador, diz Bolsonaro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Presidente Jair Bolsonaro 17/12/2020 REUTERS/Ueslei Marcelino

Jair Bolsonaro falou sobre a aprovação do uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford durante conversa com os seus apoiadores na manhã desta segunda-feira na saída do Palácio da Alvorada.

“Apesar da vacina… Apesar, não. A Anvisa aprovou, não tem o que discutir mais. Agora, havendo disponibilidade no mercado, a gente vai comprar e vai atrás de contratos que fizemos também, que era para ter chegado aqui. Então, está liberada a aplicação no Brasil. E a vacina é do Brasil, não de nenhuma governador, não”, afirmou.


A declaração acontece após mais de 24 horas de silêncio do presidente nas redes sociais. Na web, ele ainda não se manifestou sobre início da campanha de vacinação, contrariando o comportamento de outros presidente que comemoraram a imunização da população. Até Donald Trump, de quem Bolsonaro é admirador, trabalhou em favor da vacina.

Apesar de dizer que a vacina não é “nenhum governador”, Bolsonaro já se referiu a CoronaVac como a “vacina de Doria” e a “vacina chinesa de Doria” várias vezes no últimos meses quando afirmava que o governo não compraria o imunizante produzido em parceria entre o Instuto Butantan e o laboratório chinês Sinovac. No entanto, após ver o acordo com a Índia atrasar para as doses da vacina de Oxford, a CoronaVac passou a ser única opção para o Brasil.

Publicidade

veja também