Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Vale volta a desmentir informação de que estaria transferindo funcionários de Brumadinho para Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Antonio Padovezi, Diretor do Corredor Norte

Na semana passada, a convite de sua Assessoria de Comunicação (Ascom), vários profissionais de imprensa se deslocaram até ao S11D, em Canaã dos Carajás, para conhecer de perto como funciona um dos maiores projetos minerais do mundo, de responsabilidade da mineradora Vale.

Na oportunidade, os jornalistas foram recepcionados pela equipe de comunicação da Vale, além do Diretor do Corredor Norte, Antonio Padovezi, Fabricio Cardozo, que é Gerente Executivo, responsável pelas operações do S11D e Leonardo Neves, gerente de Meio Ambiente.


Em determinado momento, a reportagem do Portal Pebinha de Açúcar questionou sobre a veracidade de informações extraoficiais que davam conta sobre a transferência de centenas de funcionários da Vale de Brumadinho-MG para a região de Carajás, nos projetos minerais em Parauapebas, Canaã dos Carajás e Curionópolis e sobre a suposta demissão de funcionários da região.

Apesar de não dar muitos detalhes, os diretores da Vale negaram as informações de que funcionários locais estariam sendo demitidos para gerar vagas para funcionários da mineradora de Brumadinho-MG, onde ocorreu um rompimento de barragem que gerou várias mortes em uma das maiores tragédias já registradas no setor de mineração do planeta.

Vereador comenta sobre o assunto

Durante a Sessão Ordinária realizada nesta terça-feira (25) na Câmara Municipal de Parauapebas, o vereador Joel do Sindicato (DEM) voltou a comentar sobre o assunto e afirmou que mais de 200 pessoas de Parauapebas teriam sido demitidas e as vagas foram ocupadas por funcionários da empresa Vale que foram transferidos de Brumadinho-MG.

“Que possamos ficar de olhos abertos e que o prefeito de Parauapebas possa sancionar a lei que obriga as empresas a contratar um percentual de funcionários que moram em Parauapebas”, disse Joel.

Publicidade

Veja
Também