“Valentão” da Federação Paraense de Futsal tenta impedir transmissão de partida em Canaã

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Uma confusão foi registrada durante uma partida de futsal entre o Jerusalém e o Parauapebas, no município de Canaã dos Carajás. O acusado de causar o constrangimento é Hugo Vasconcelos, Coordenador do Polo Carajás da Federação de Futsal do Pará (FEFUSPA).

Confira a nota assinada pela Plus Digital que foi encaminhada ao Portal Pebinha de Açúcar:


“A Plus Digital, empresa especialista em transmissão de jogos desportivos, vem por meio desta repudiar a atitude do Sr. Hugo Vasconcelos, coordenador do polo Carajás, ocorrida na noite de hoje, 04/06, no Ginásio Chorão em Canaã dos Carajás, onde aconteceu a partida entre Jerusalém x Parauapebas, pela Copa Carajás de Futsal.
Responsável pela transmissão do jogo através da PFC TV no YouTube, a equipe da Plus Digital se dirigiu até o referido ginásio para instalar os equipamentos e iniciar o streaming, quando foi abruptamente interrompida pelo Sr. Hugo Vasconcelos, que se identificando como responsável pela Federação de Futsal do Pará (FEFUSPA), vociferou rudemente contra os colaboradores que estavam ali apenas cumprindo seu trabalho. Gritando palavras de ordem e batendo na mesa para intimidar, o dirigente expulsou a equipe, afirmando que não possuíam direito de transmitir aquela partida, e deviam sair imediatamente daquele local. Mesmo após os colaboradores explicarem que haviam sido autorizados pelo Parauapebas Futebol Clube, onde possuem contrato de prestação de serviços, não houve diálogo, pois segundo o Sr. Hugo, ele é quem mandava.
Primeiramente, é preciso destacar que não há no Regulamento Geral das Competições da FEFUSPA qualquer menção ao direito de arena ou transmissão das partidas de qualquer campeonato de futsal do estado, tendo sido a PFC TV, através da Plus Digital, autorizada a transmitir o jogo, para fins sociais e desportivos, de modo que os torcedores do Parauapebas e demais amantes do esporte pudessem acompanhar a partida. E ainda que não estivessem autorizados, nada justifica a atitude agressiva e ofensiva do dito dirigente, que tratou de forma desumana profissionais que estavam apenas desempenhando suas funções.
Em segundo lugar, nós da Plus Digital lembramos que a liberdade de expressão e o direito à liberdade de imprensa estão previstos nos arts. 5 e 220 da nossa Constituição, sendo direitos fundamentais de nosso ordenamento jurídico, que não podem ser tolhidos de forma alguma, sob pena de contrariar as bases da nossa democracia. A função jornalística deve ser sempre defendida e ter liberdade para desempenhar sua função, estando livre de desmandos e autoritarismos de quem quer que seja.
Nossa empresa continuará a exercer seu papel fundamental para a PFC TV e para o jornalismo do nosso estado: o de levar qualidade de transmissão, entretenimento e informação para Parauapebas e todos os cantos do nosso estado. Não nos sujeitaremos a imposições, injustiças e combateremos sempre toda e qualquer forma de censura, e tomaremos as medidas cabíveis para que tal ato não passe impune.

Viva a liberdade de imprensa!”

veja também