Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Veja como foi a ação criminosa que ‘parou’ Parauapebas na segunda-feira (11)

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Durante grande parte da última segunda-feira (11), vários populares de Parauapebas e região ficaram preocupados com as notícias de um suposto tiroteio entre bandidos e homens da Polícia Militar que estava sendo registrado na divisa dos Bairros Da Paz e Paraíso.

Pela manhã, as informações ainda eram desencontradas, porém, com o passar do tempo, as polícias Militar e Civil foram se movimentando e agindo para conter mais um ato criminoso que foi registrado em Parauapebas.


O comandante do 23º Batalhão de Polícia Militar de Parauapebas, Major Gledson Melo dos Santos, informou que os criminosos haviam roubado um posto de combustíveis no município de Canaã dos Carajás e depois fugiram para Parauapebas. “Tomamos conhecimento que eles estavam se escondendo em dois endereços na cidade, um no Bairro da Paz e outro no Bairro Cidade Jardim. Resolvemos ir primeiro no Bairro da Paz, quando fomos recebidos a tiros pelos criminosos, que se embrenharam em meio a área de mata, alagadiça e de difícil acesso, precisamente na divisa dos Bairros da Paz e Paraíso. Diante de tudo isso, recebemos apoio de uma aeronave da polícia, fizemos incursões em busca da quadrilha, mas conseguiram fugir após liberar o refém”, disse o major.

O comandante ainda relatou que os criminosos são especializados em assaltos a postos de combustíveis da região, mas também a lotéricas e grandes supermercados. Atualmente, eles usavam Parauapebas como base principal de planejamento dos assaltos.

O elemento identificado como Idalécio Alves da Silva é o líder do bando criminoso. Ele foi criado no Bairro da Paz, e de acordo a polícia, conhece bem aquela área onde ele e os comparsas se embrenharam em meio ao matagal.

No Bairro da Paz, os policiais chegaram e os bandidos conseguiram fugir levando um refém, e no outro caso, registrado no Cidade Jardim, os policiais foram na intenção de prender um elemento, que ameaçou atirar nos policiais e acabou morrendo na intervenção, como foi noticiado AQUI em nosso site.

Já no caso registrado no Bairro da Paz, o clima foi mais tenso ainda, sendo que a Polícia Militar teve um trabalho delicado registrado, inclusive com o apoio de um helicóptero que faz parte do Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Estado do Pará (GRAESP).

As autoridades policiais chegaram ao local atrás de bandidos e confirmaram que dois elementos invadiram uma casa, renderam duas pessoas e acabaram se deslocando a uma área de mata levando um refém que foi identificado posteriormente como Cícero dos Santos.

Após toda a confusão e estar em poder dos meliantes, Cícero dos Santos esteve na Seccional de Polícia Civil de Parauapebas e em depoimento, relatou como viveu momentos de terror em poder dos bandidos.

Por volta das 10h00 Cícero dos Santos estava em sua residência, localizada na Rua Marabá, no Bairro da Paz, juntamente com um vizinho por prenome de Raimundo, quando dois indivíduos, ambos portando armas de fogo, invadiram o imóvel apontando as armas para os dois e tomaram Cícero como refém, tirando-o do imóvel e levando-o para uma região de mata próxima ao local, sempre apontando a arma de fogo para Cícero e mandando que ele fosse à frente para ser usado como escudo humano.

Nas proximidades de uma ponte que fica na divisa dos Bairros da Paz e Paraíso, policiais ficaram por várias horas encurralando os meliantes que estavam de posse do refém, por isso, todo cuidado foi redobrado para preservar a vida de Cícero dos Santos.

 

Em depoimento, Cícero afirmou que ficou sob ameaça dos indivíduos até o período da noite, que durante esse período ficaram andando ao ver o helicóptero do GRAESP, paravam e escondiam-se no matagal. Cícero foi liberado em uma área aparentemente rural, mas não sabe com precisão onde era. Os indivíduos disseram para ele que iriam para a direção de Canaã dos Carajás e que ele deveria tomar o sentido contrário. Cícero relatou ainda que após ser liberado pelos sequestradores, conseguiu chegar à Avenida Presidente Prudente, onde encontrou um amigo que o levou para casa.

Agora, homens das polícias Civil e Militar irão continuar as buscas para tentar encontrar e prender os elementos que deixaram os populares e as autoridades policiais em alerta total em Parauapebas e região.

Publicidade

Veja
Também