Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Vereador defende o uso de armas de fogo pela Guarda Municipal

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um dos principais assuntos debatidos na sessão de ontem, 5, terça-feira, na Câmara Municipal de Parauapebas foi o aparelhamento dos agentes da Guarda Municipal de Parauapebas, cujo tema foi aberto devido a apresentação da Indicação N°233 /2017 de autoria dos vereadores Elias Ferreira de A. Filho (PSB) e Kelen Adriana C. Coelho Mesquita (PTB), que pedia ao Poder Executivo que, através da SEMSI – Secretaria Municipal de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão, sejam adquiridos EPI’s – Equipamentos de Proteção Individual, a saber, dispositivos elétricos incapacitantes, conhecidos como “spark” e os equipamentos completam o kit de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) dos agentes ostensivos, que também inclui cinto de ação completo, capas de chuva, gandola, camisas e camisetas, spray de pimenta, tonfa (cacetete), coldre, apitos, coturno, bota, cotoveleiras e joelheiras para motociclistas. Ainda integram o kit coletes balísticos e rádios comunicadores digitais, algemas, óculos de proteção.

A indicação foi aprovada por unanimidade e o assunto se estendeu na tribuna e ainda nas explicações pessoais de cada vereador. Entre eles, Joel Pedro (DEM), que se posicionou favoravelmente também ao uso de armas de fogo pelos Guardas Municipais, pois, segundo ele, não é possível que se combata o crime lidando com traficantes e outros bandidos armados, usando apenas armas com efeito de choque. “Em várias cidades brasileiras já existe Guarda Municipal armada e aqui não pode ser diferente. Quanto à preparação, sempre há em toda corporação agentes desiquilibrados que fazem coisas que não condiz com a função”, explicou o vereador, dizendo acreditar na importância do trabalho que a GM já vem desenvolvendo.


Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também