Vereador Pavão se despede da Câmara e diz: Não foi Deus que errou, não foi o povo, fui eu”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Vereador Pavão (MDB)

Em clima de despedida, o vereador Francisco do Amaral Pavão usou seus últimos dez minutos na Tribuna da Câmara Municipal de Parauapebas, em sessão extraordinária realizada nesta terça-feira (22), para se despedir do Poder Legislativo, tendo em vista que não obteve votos suficientes nas eleições de 2020 para se reeleger e se manter no cargo.

“Saio de cabeça erguida, no ano de 2013 tinha uma ideia de mudar o mundo, como diz a música de Cazuza, porém, ao longo dos anos, vi a limitação que está nas mãos do Poder Legislativo, mas mesmo limitado, em oito anos, demos o melhor para nossa cidade, apesar de sermos muito criticados, mas, trabalhamos muito, como por exemplo na luta da tão sonhada CFEM, que nos deu a possibilidade conseguimos votar no orçamento bilionário para 2021”, relatou o então vereador Pavão, que disse que isso não se trata de um adeus, e sim um até logo ou até breve, deixando a entender que na próxima eleição irá tentar ser eleito vereador novamente.


“Não foi Deus que errou, não foi o povo, no meu mandato, fui eu que errei, mas, sairei daqui firme e com toda a convicção que faria tudo novamente o que fiz no mandato em oito anos, onde demos tudo o que estava ao nosso alcance para nossa cidade”, finaliza Pavão.

Publicidade

veja também