Vereadora Eliene Soares solicita ações da prefeitura para melhorar e ampliar atendimento na saúde

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Vereadora Eliene Soares

Na sessão ordinária desta terça-feira (25), a vereadora Eliene Soares (MDB) apresentou três propostas para melhorar o atendimento na saúde em Parauapebas.

Conhecedora da realidade da rede de saúde no município, a vereadora sugeriu que seja disponibilizado um aplicativo para agendamento de exames e consultas médicas, compra de mamógrafos e a implementação de um centro de tratamento de obesidade, como alternativa para atender melhor os usuários do sistema público de saúde.


Aplicativo para agendar consultas

Eliene Soares contou que muitas prefeituras brasileiras estão modernizando a oferta de serviços públicos, sobretudo, os de saúde, à população. Assim, um aplicativo para agendamento de consultas médicas e exames, acesso a informações sobre os atendimentos e horários de funcionamento dos órgãos de saúde.

Com o aplicativo, os atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) locais serão dinamizados e haverá controle mais rigoroso na oferta de serviços que priorizem quem comprovadamente resida em Parauapebas, já que a estrutura de nossa rede pública de saúde também é utilizada por diversos municípios da redondeza.

“Quero que o Poder Executivo analise a possibilidade de implementar solução tecnológica, nos moldes do aplicativo Agenda Fácil, de São Paulo, para agendamento, confirmação ou cancelamento de consultas em nossos postinhos. Há recursos para esta ação dentro do programa ‘Saúde Mais Perto de Você’, previsto no orçamento municipal com dotação de R$ 83 milhões 708 mil, dos quais R$ 36 milhões 153 mil já foram utilizados. Ou seja, o recurso existe”, assegurou Eliene Soares.

O aplicativo Agenda Fácil implementado pela Prefeitura de São Paulo, em 2018, permite a seus 12,4 milhões de habitantes programar e gerenciar atendimentos na rede municipal de saúde. Por meio do aplicativo, baixado gratuitamente, o paulistano pode atualizar dados de contato, visualizar resultados de exames, realizar agendamentos nos postinhos, verificar pedidos em fila de espera e se agendar, fazer a confirmação de pré-agendamentos de consultas e exames especializados e cancelar ou remarcar agendamentos.

Se implementado em Parauapebas, o aplicativo irá otimizar o atendimento aos 160 mil usuários diretos do Sistema Único de Saúde (SUS).

Compra de mamógrafos

Para agilizar e aperfeiçoar atendimentos e diagnósticos na rede municipal de saúde, a vereadora Eliene Soares requisitou à prefeitura a aquisição de mais mamógrafos.

Atualmente existem seis mamógrafos disponíveis em Parauapebas para atender a, pelo menos, 105 mil pessoas do sexo feminino, 70 mil delas com mais de 15 anos de idade.

Metade desses seis aparelhos está na rede particular, que atende a um número reduzido de mulheres em vista do atendimento da rede pública municipal. Simplificando, temos três mamógrafos da rede particular que atendem a 15 mil mulheres e três da rede pública que atendem às demais 55 mil mulheres.

“Os mamógrafos da rede pública têm de dar conta de uma demanda potencial que é mais que o triplo da rede privada. A conta não fecha e alguém — no caso, a mulher — fica em desvantagem. Várias cidadãs, mulheres, têm procurado meu gabinete para relatar a dificuldade em fazer exame de mama na rede pública, com longos períodos entre a marcação da consulta e a realização do exame. Parauapebas, pela riqueza que possui, tem menos mamógrafos na rede pública que o município de Capanema, no nordeste do Pará. Sendo que Capanema tem população quatro vezes menor que a nossa e arrecada 18 vezes menos”, ressaltou a vereadora.

A mamografia, exame de radiografia das mamas feito pelo mamógrafo, é capaz de identificar alterações suspeitas e ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas. Para as mulheres que já superaram a doença, a mamografia também possui papel importante para o acompanhamento e controle pós-tratamento. Em 2019, ano com dados consolidados mais recentes, seis mulheres morreram em Parauapebas por câncer de mama. Em 20 anos, o município sepultou 42 mulheres.

Por fim, a vereadora Eliene destacou que existe dotação para fazer a compra de mamógrafos no programa “Investe SUS”, que consta do orçamento municipal com recursos previstos em R$ 20 milhões 443 mil, dos quais já foram usados apenas R$ 387 mil.

Centro de tratamento da obesidade

Ainda na sessão ordinária, a vereadora requereu a criação de um Centro de Acompanhamento e Tratamento da Obesidade (Cato), visando à melhoria da qualidade de vida da população.

A legisladora ressaltou que obesidade é coisa séria, pois é uma doença. Além dos problemas acarretados na saúde, a obesidade também pode ser causa e consequência de depressão, de problemas familiares, emocionais ou mesmo metabólicos. Seja como for, precisa ser tratada, e o poder público tem a obrigação de dar assistência a esse público, que não para de crescer e cujos hábitos estão, perigosamente, sendo incorporados pelas crianças.

No final do ano passado, o IBGE divulgou um estudo com dados de 2019 mostrando que, atualmente, um em cada quatro brasileiros adultos está obeso. Outra pesquisa também do IBGE, com dados de 2018 e retrato sobre os estados, tendo Belém como base no Pará, mostra que naquele ano 21% dos homens e 20% das mulheres paraenses maiores de 18 anos eram obesos. Trazendo esse recorte para Parauapebas, à ausência de números precisos, podemos ter aqui 35 mil obesos.

É, portanto, um problema sério de saúde pública, que tem a ver, em muitos casos, com a rotina corrida de muitos desses adultos, que são trabalhadores, vivem sozinhos, não têm tempo de preparar refeições sadias e, por isso, se alimentam mal.

Diante da ausência de projeto no orçamento municipal dedicado especificamente à questão da obesidade, Eliene Soares sugeriu que a Prefeitura de Parauapebas crie um Centro de Acompanhamento e Tratamento da Obesidade (Cato), visando à melhoria da qualidade de vida das pessoas acometidas, por meio de ações de controle, monitoramento e suporte nutricional.

Votação

O pedido para criação e implementação do aplicativo, que foi oficializado pela vereadora Eliene Soares na Indicação nº 349/2021, a compra de mamógrafos, requerida na Indicação nº 350/2021, e a implantação do Cato, solicitada na Indicação nº 351/2021, foram colocadas para apreciação parlamentar.

Diante da necessidade de ampliar, melhorar e criar oferta de serviços de saúde que atendam às necessidades de todos os usuários da rede pública, os vereadores aprovaram em unanimidade os pedidos.

Com o parecer favorável da Casa Legislativa, as indicações serão enviadas ao Poder Executivo, que deverá analisar as propostas e, se possível, implementá-las.

veja também