Vereadora propõe financiamento de energia solar para servidores públicos de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A criação de uma linha de financiamento para os servidores públicos municipais custear a aquisição de placas fotovoltaicas domiciliares, por meio de pagamento consignado, foi proposta pela vereadora Eliene Soares (MDB) na Indicação nº 95/2022.

Na proposição, a vereadora explica que a energia fotovoltaica é gerada a partir da captação da luz do sol por placas solares. É uma fonte de energia limpa que não emite gases de efeito estufa e, ao mesmo tempo, preserva a natureza. Seus benefícios estão atrelados à sustentabilidade e à alta rentabilidade financeira. A energia solar gera economia que varia de 50% a 90% na conta de luz. Em alguns casos, pode até zerar a conta de energia elétrica.


“Com tantas vantagens e gente interessada em reduzir custos e contribuir com o meio ambiente, precisamos pensar, em nível local, em estratégias para massificar a utilização da energia fotovoltaica, valendo do potencial de incidência solar de nosso município. E podemos começar esse trabalho incentivando nossos servidores públicos a instalar, de modo domiciliar, placas solares em suas residências”, sugeriu Eliene Soares.

Como a instalação de placas solares ainda é muito cara, a parlamentar sugere que o governo municipal contribua com uma contrapartida, pois assim o preço das placas cairá e os servidores poderão financiá-las com desconto em folha.

“A medida é um importante instrumento de estímulo ao surgimento de novos projetos de energia solar fotovoltaica em Parauapebas e pode, também, criar empregos, à medida que possibilita injetar mais recursos financeiros na economia, com a aquisição em massa das placas fotovoltaicas”, acrescentou.

A Indicação nº 95/2022 foi aprovada na sessão ordinária da Câmara Municipal de Parauapebas desta semana e enviada para apreciação do prefeito Darci Lermen, com cópia para as secretarias de Governo (Segov), de Administração (Semad) e de Mineração e Tecnologia (Semmect).

veja também