Vigilância em Saúde vai investigar possível venda de carne de cavalo em açougues de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Durante a última quinta-feira (18), começou a circular pelas redes sociais, um vídeo em que possivelmente um pescador, encontrou no Rio Parauapebas uma cabeça de um cavalo. Ele indaga se a população da “Capital do Minério” estaria sendo enganada com a comercialização da carne de cavalos, sendo vendidas como carnes de bois.

O vídeo repercutiu bastante as redes sociais e várias pessoas ficaram preocupadas.


Durante a tarde desta sexta-feira (18), a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar entrou em contato com Michele Ferreira, diretora da Vigilância em Saúde de Parauapebas, que por sua vez, informou que a responsabilidade de fiscalização da venda de carnes diversas em açougues e outros estabelecimentos da cidade, é de responsabilidade do órgão em que ela está à frente, já em relação ao abate de animais, fica sob a tutela da Secretaria Municipal de Produção Rural (SEMPROR), que por sua vez, conta com o Serviço de Inspeção Municipal (SIM).

Porém, sobre o caso da cabeça de cavalo que foi encontrada no Rio Parauapebas, onde algumas pessoas deram a entender que carne desse tipo de animal poderia estar sendo comercializada em Parauapebas, Michele Ferreira disse que a Vigilância em Saúde vai montar uma força tarefa em parceria com o Ministério Público (MP), Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (ADEPARÁ) e Secretaria de Produção Rural (SEMPROR) para que estabelecimentos sejam fiscalizados em massa.

Michele Ferreira – Diretora de Vigilância em Saúde

 

“Sempre fazemos vários trabalhos de fiscalização em regime de conscientização, em todos os bairros de Parauapebas, porém, ainda encontramos empresas com dificuldades para se regularizar, bem como manter boa higiene e outros fatores”, relata Michelle, afirmando que o município está bem servido com bons profissionais nesta área.

Michelle relata ainda que a Vigilância em Saúde de Parauapebas conta em seu quadro com médicos veterinários e zootecnistas para que a carne comercializada em toda a cidade seja de qualidade.

Publicidade

veja também