Vigilância Sanitária investiga informações de que carnes de cavalo estariam sendo vendidas em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A fiscalização nos abatedouros deve ser feita pelo Governo Municipal, que garantiu em nota, que a inspeção é feita pela Secretaria Municipal de Produção Rural (SEMPROR). O caso veio a tona por causa da denúncia que circula em redes sociais de abatimento clandestino de cavalos para comercialização de carnes em açougues locais.

A denúncia veio de um internauta não identificado que postou vídeo no local que, suspostamente é um abatedouro de cavalo e que, de acordo com o que este imagina, a carne deveria ser comercializada nos açougues mais próximos, no caso, no bairro Palmares Sul; situação que deixou os consumidores em polvorosa, porém, conforme a nota vinda da Prefeitura de Parauapebas, uma equipe do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) fará diligência amanhã (5), para levantar informações e verificar a procedência da denúncia.


Ainda de acordo com informações da SEMPROR, o serviço de inspeção é realizado diariamente em todos os abatedouros do município, assim como todas as denúncias recebidas são sempre averiguadas por um corpo técnico e que, nos casos comprovados, a equipe aciona a Polícia Civil para dar prosseguimento no processo de investigação e responsabilização criminal.

 

Lazara Cesária dos Santos é uma comerciante no ramo de alimentação e diz ter ficado constrangida quando recebeu a notícia, por ser, para ela, uma novidade até inacreditável. “Compro carne direto do frigorífico, por isso, não me abalei nem temi, pois, meus clientes podem ficar tranquilos que aqui não foi servida carne de procedência duvidosa”, garante Lazara, que diz trabalhar no ramo de alimentação por 27 anos, sendo destes, oito anos na Palmares Sul.

Empresária mostra notas de procedência de carnes que compra em frigorífico

 

Porém, de acordo com a comerciante, o vídeo pode ser antigo, pois, já fazem, pelo menos, seis meses que o mesmo boato circulou e depois desapareceu. Por isso, ela entende que o suposto abatedouro de cavalos, pode nem estar mais como na época em que foi filmado pelo internauta.

veja também