Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

VII Feirão do Imposto Nacional será realizado nos dias 25, 26 e 27 de maio em Marabá

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A 7ª edição em Marabá terá o tema “Chega de Mão Grande”, projeto que visa diversas ações no mês de Maio. Objetivo é levar a população a refletir sobre o impacto da corrupção no dia a dia e a importância do retorno dos impostos. Realizado em Marabá e simultaneamente em mais de 100 cidades brasileiras com a proposta de informar a população sobre a alta carga tributária que incide em produtos e serviços no país, o 7º Feirão do Imposto terá lançamento no dia 18 de março, na ACIM – Associação Comercial e Industrial de Marabá.

Caetano Candido dos Reis Neto, Presidente do CONJOVE, convida toda a sociedade civil organizada, as entidades do comércio e as instituições parceiras do Conselho para esse lançamento na ACIM. Ele enfatiza que o Feirão do Imposto já é uma ação em Marabá com reconhecimento nacional, fruto do envolvimento dos Jovens Empresários e de Empresas que acreditam e apoiam o CONJOVE, nas ações sociais, de cidadania fiscal ou na comercialização de produtos sem impostos. Há 4 anos o CONJOVE realizada um dos maiores eventos em em volume de negociações e empresas participantes.


O Feirão do Imposto é uma marca registrada da CONAJE – Confederação Nacional dos Jovens Empresários e dos inúmeros movimentos jovens associativistas do país, que não medem esforços para disseminar informações tributárias de forma simplificada à população e questionar a aplicação destes recursos. Neste ano, o Feirão do Imposto é realizado pela CONAJE, em parceria com os movimentos de jovens empreendedores e empresários nos estados e municípios, com o Ministério Público Federal – MPF e as 10 medidas contra a corrupção, com o Movimento Brasil Eficiente – BEM, com a Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil – CACB e com Observatório Social do Brasil – OSB.
Situação no Brasil

Segundo a Organização de Transparência Internacional, o Brasil piorou três posições no ranking sobre a percepção da corrupção no mundo em 2015, ficando na 79ª posição entre 176 países, ao lado de China, Índia e Bielorússia. O estudo leva em conta outros 13 levantamentos relacionados a corrupção realizados por instituições como Banco Mundial, World Justice Project e Global Insight.

A corrupção interfere no retorno dos impostos em benefícios para a sociedade, porque retira investimentos em áreas essenciais como saúde, segurança e educação. De acordo com a Organização das Nações Unidas, estima-se que, aproximadamente, R$ 200 bilhões são desviados no Brasil, por ano. Este valor significa três vezes o orçamento da saúde ou educação, e cinco vezes o orçamento da segurança pública.

A corrupção também afeta a competitividade das empresas, sendo que o Brasil perdeu mais seis posições no ranking das economias mais competitivas do mundo, caindo para a 81ª colocação em 2016. O ranking avalia 138 países e foi divulgado pelo Fórum Econômico Mundial, em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC). O levantamento é um termômetro do nível de produtividade e das condições oferecidas pelos países para gerar oportunidades e para que as empresas possam obter sucesso. Além disso, a corrupção atrapalha o desenvolvimento econômico e social. Pesquisas revelam que quanto maior o índice de corrupção, maior será a desigualdade e menor será o desenvolvimento.

Missão do Feirão
Esta ação tem o caráter apartidário e são desenvolvidas para educar a população a respeito do quanto se paga em impostos. A partir dessa mobilização, o Feirão se tornou uma ação muito importante para Marabá, com o foco na conscientização de quanto se paga em impostos e no acompanhamento da destinação dos tributos recolhidos.

Publicidade

Veja
Também