Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Xinguara, município que une as belezas do Xingu e do Araguaia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Quem quiser embarcar em uma aventura no sul do Pará terá como ponto de partida o município de Xinguara, que fica a 245 quilômetros de Marabá ou 920 km de Belém. Saindo de Marabá, o motorista deve pegar a BR-155, passando pelos municípios de Eldorado dos Carajás e Sapucaia. A cidade é banhada a leste pelo rio Araguaia, onde surge a praia do Pontão, a mais procurada pelos turistas durante o verão.

A cidade leva no nome a herança dos rios Xingu e Araguaia, mas é recheada de influências de brasileiros de outros estados que ajudaram a construir a cidade há 40 anos, como Minas Gerais, Goiás e Tocantins.


Com uma produção bovina de peso no Estado, o município também é lembrado pelo acesso aos rios. Na direção oeste, seguindo pela PA-279, que começa no centro da cidade, é possível ir até a margem do rio Xingu, no município de São Félix do Xingu. A rodovia foi completamente reformada pelo Governo do Estado e já está na fase final a pavimentação da avenida central de Xinguara, que também receberá uma nova iluminação. A obra beneficia cinco municípios (Xinguara, Tucumã, Ourilândia, Água Azul do Norte e São Félix) melhorando a integração da região e beneficiando o crescimento do mercado local.

Um destes exemplos é a pamonharia Sabor de Minas, localizada na avenida Xingu, final da rodovia PA-279, entrada do município de Xinguara. O milho é a estrela da casa e dele derivam todos os produtos servidos, receitas típicas do interior mineiro, que tem forte influência na culinária da região.

O estabelecimento pertence ao empresário Mauro Arantes, 53, e sua esposa Fernanda Viana, 30. Ele é goiano e chegou à cidade em 1976, quando Xinguara ainda era apenas um projeto. Depois de trabalhar em diversos ramos, Mauro decidiu investir em algo completamente diferente, mas acabou criando um dos pontos mais populares de café da manhã para quem chega ao município pela rodovia.

“Minha mãe é louca por pamonha e sempre deu a ideia de abrir uma pamonharia aqui. Um dia eu e a minha esposa estávamos viajando por Goiânia quando vimos uma loja dessas e percebemos que era possível. Daí pegamos a receita da pamonha mineira da minha avó e a minha esposa acabou criando várias novas receitas aqui”, diz Mauro Arantes.

“Faço pamonhas de vários tipos, que variam desde a tradicional até carne seca. As pessoas começaram a gostar e hoje temos clientes que vêm de outros municípios, como Tucumã e Água Azul, só para comer aqui. Temos clientes que chegam a levar 40 pamonhas congeladas para comer durante o mês”, diz Fernanda.

Célio Jacob, 27, e sua família, são clientes assíduos. Eles saem de Canaã dos Carajás e todas as vezes passam pela cidade para um café da manhã reforçado. “Nós temos parentes na cidade e sempre fazemos uma parada aqui. Todo mundo adora pamonha em Canaã, então é bom saber que vamos encontrar um lugar tão bom assim na viagem”, diz Célio.

Praia

Saindo do município, 20 quilômetros na PA-151 em direção a Sapucaia, o motorista que entrar à direita na Fazenda Rio Vermelho vai em direção ao paraiso. Os 80 quilômetros de estrada de chão entre campos e morros levam à famosa praia do Pontão, banhada pelo rio Araguaia.

A praia fica localizada no distrito de São José do Araguaia, distante 115 quilômetros da sede do município. A pequena localidade possui três pousadas e algumas casas oferecem quartos alugados por temporada. No local, a prefeitura de Xinguara monta todos os anos uma infraestrutura especial para receber os turistas, que vêm de diversos municípios do sul do Pará e do estado do Tocantins.

A praia surge como um banco de areia no meio do rio, onde é possível ver de um lado o porto de São José do Araguaia (PA) e do outro lado o porto de Santa Fé do Araguaia (TO).

“Durante todo o verão nós deixamos uma estrutura de energia elétrica, palcos, apoio da Polícia Militar, Bombeiros, posto de saúde, além da equipe do posto de saúde a postos na praia. Xinguara tem crescido muito graças às obras que temos recebido do Governo do Estado e nós temos feito a nossa parte também, fortalecendo essa parceria e proporcionando condições para que o turista conheça as belezas da região”, diz o prefeito de Xinguara, Osvaldo de Oliveira.

Oliveira da Silva, 41, presidente da Associação de Barqueiros, fala do movimento durante todo mês de julho e a importância da preservação da praia para que novos turistas possam conhecer o lugar. “Julho foi um mês muito bom para nós, pois o movimento foi grande. Temos trabalhado bastante em parceria com o Corpo de Bombeiros, a prefeitura e a Polícia Militar. Damos muitas orientações para a população não jogar lixo na praia ou na água, pois é o nosso maior patrimônio e toda a nossa comunidade depende do rio Araguaia para sobreviver”, diz.

Com o fim do verão, as barracas e toda a estrutura são desmontadas, mas mesmo assim, quem quiser visitar o distrito pode aproveitar o rio Araguaia para um passeio de lancha pelas águas claras que mudam ao longo da margem.

Pedras, correntezas, peixes e pássaros estão por todo lado. O local marca não apenas a fronteira entre os estados do Pará e Tocantins, mas também parte da rica biodiversidade da região do Araguaia.

Segurança

As águas transparentes e rasas do Araguaia são refrescantes e convidativas, mas é necessário ter cuidado. Na área existe alta incidência de arraias. O acidente ocorre quando os banhistas pisam no animal, que se defende com um esporão venenoso, não letal, porém causa dor intensa.

“Estivemos com 11 bombeiros de Parauapebas destacados para cobrir a região a cada quinzena. Nesta praia, os visitantes têm a característica de acampar durante todo o mês e se banhar em várias áreas. Algumas possuem grande incidência de arraias e nós orientamos para que nadem em outras margens. Já tivemos até mesmo acidentes com escorpiões nas partes mais isoladas. Mas conseguimos fazer os primeiros atendimentos juntamente com o posto de saúde da praia. Nossa orientação é a de sempre evitar as área de risco”, explic, o sargento Valdinei dos Santos, do 23º Batalhão de Bombeiros de Parauapebas.

Além do primeiro atendimento, o Corpo de Bombeiros também delimitou as áreas de banho devido o risco que oferece a correnteza no rio Araguaia. A Polícia Militar também esteve presente para garantir a segurança e prevenção de crimes na área.

“A nossa atuação foi tranquila, trabalhando em conjunto com o Corpo de Bombeiros, dando orientações aos banhistas para evitar os excessos e também fazendo a repressão da entrada de entorpecentes na praia”, diz o sargento Edivan da Silva, do 7º Batalhão da Polícia Militar de Redenção.

Serviço:

Travessia para a praia do Pontão: R$ 3,00
Pamonharia Sabor de Minas: Avenida Xingu, próximo ao KM 1 da PA 279. São seis tipos de pamonha que variam entre a tradicional até sabores exóticos como carne seca, jiló e frango. O valores vão de R$ 4,00 a R$ 5,00.

Reportagem: Diego Andrade / Agência Pará

Publicidade

Veja
Também