Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Semana da Saúde na Escola será realizada entre os dias 24 e 28 de abril

Entre os dias 24 e 28 de abril, a Prefeitura de Parauapebas vai promover a Semana da Saúde na Escola. Um tema que ganha força a cada ano em todo o Brasil por levar à comunidade estudantil algo que vai bem além de mais uma disciplina, que é o cuidado com a saúde. Tanto que o Ministério da Saúde criou o Programa de Saúde e Educação (PSE).

E para o alcance dos objetivos e sucesso desse programa, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa)se reuniuesta semana com educadores da rede de ensino municipal para discutir sobre a ação, que é de fundamental importância para compreender a educação integral como um conceito que envolve proteção, prevenção, a atençãoà saúde e o pleno desenvolvimento da comunidade escolar.

Na esfera da saúde, as práticas das equipes de Saúde da Família incluem prevenção, promoção, recuperação e manutenção da saúde dos indivíduos e coletivos humanos.

O público beneficiário do PSE são os estudantes da educação básica, gestores e profissionais de educação e da saúde, comunidade escolar e, de forma mais ampliada, estudantes da rede federal de Educação Profissional e Tecnológica e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

“O Programa Saúde na Escola visa à integração e articulação permanente da educação e da saúde, proporcionando melhoria da qualidade de vida da população brasileira. Como consolidar essa atitude dentro das escolas? Essa é a questão que nos guiou para elaboração da metodologia das Agendas de Educação e Saúde, a serem executadas como projetos didáticos nas escolas”, diz o secretário municipal de Saúde, Francisco Cordeiro.

A coordenadora do programa, Ana Lúcia de Sousa e Silva, explica que o PSE objetiva contribuir para a formação integral dos estudantes por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino.

“As atividades de educação e saúde do PSE ocorrerão nos territórios definidos segundo a área de abrangência da Estratégia Saúde da Família, do Ministério da Saúde, tornando possível o exercício de criação de núcleos e ligações entre os equipamentos públicos da saúde e da educação – escolas, centros de saúde, áreas de lazer, como praças e ginásios esportivosetc”, diz Ana Lúcia.

No PSE, a criação dos territórios locais é elaborada com base nas estratégias firmadas entre a escola, a partir de seu projeto político-pedagógico, e a unidade básica de saúde. O planejamento destas ações do PSE considera o contexto escolar e social, o diagnóstico local e a capacidade operativa em saúde do escolar.

A escola é a área institucional privilegiada deste encontro da educação e da saúde, um espaço para a convivência social e para o estabelecimento de relações favoráveis à promoção da saúde pelo viés de uma educação integral.

Dentro das escolas, pontua Francisco Cordeiro, podem ser feitas avaliação das condições de saúde das crianças, adolescentes e jovens que estão na escola pública;promoção da saúde e de atividades de prevenção; educação permanente e capacitação dos profissionais da educação e da saúde e de jovens; monitoramento e avaliação da saúde dos estudantes; monitoramento e avaliação do programa.

O secretário de saúde é convicto de que essa parceria com a educação “é a certeza para a população que espera por boas ações em prol dos adolescentes e estudantes do nosso município”.

Reportagem: Cléo Lopes

300 merendeiras da rede pública de ensino recebem qualificação

Os profissionais da Educação sabem, melhor do que ninguém, que na escola a boa alimentação é um grande aliado do aprendizado. Das mãos das merendeiras, saem as nutritivas receitas que alimentam os estudantes durante todo o ano. Para alcançar o objetivo de oferecer uma merenda de qualidade, as 300 merendeiras que fazem parte darede municipal participaram de uma capacitação no último sábado, 11, no auditório do Centro Universitário de Parauapebas (Ceup).

Realizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), o treinamento contemplou os seguintes temas: Boas Práticas de Fabricação de Alimentos (BPF), os Procedimentos Operacionais Padronizados (POPs) normatizados pela Vigilância Sanitária, além das orientações na preparação das refeições adequadas, conforme recomenda o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

O secretário de Educação, Raimundo de Oliveira Neto e osecretário-adjunto Antonino Alves estiveram presentes no treinamento.Raimundo Neto enfatizou a importância da humanização no ambiente escolar. “A parte da preparação dos alimentos é muito importante, mas a distribuição, o servir, também é. Precisamos tratar bem as nossas crianças, precisamos ter um atendimento humanizado. Façam com cuidado e amor e assim o bem-estar dos alunos será garantido”, solicitouo gestor.

A Semed fornece alimentação escolar diariamente para os mais de 49 mil alunos que frequentam a rede municipal de ensino infantil e fundamental, nas 69 escolas das zonas urbana e rural. Ao todo, são 61 mil refeições por dia. O número de refeições servidas para cada aluno varia de acordo com o tempo de permanência na escola.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

A equipe de nutrição da Semed tem planejado ações voltadas para educação nutricional visando à formação de bons hábitos alimentares. “É elaborado mensalmente um cardápio específico de acordo com a faixa etária. A ideia é reforçar a educação nutricional que hoje se encontra carente, a fim de garantir uma alimentação mais saudável as nossas crianças”, disse a nutricionista Ercilia Carvalho.

O coordenador da Divisão de Alimentação Escolar (DAE), Adalberto Cândido, informou que essa foi a primeira capacitação de muitas que virão. “Os encontros, além de capacitá-las, servem para alertá-las sobre o desperdício, higiene e trabalho em equipe. Vamos reunir também com os diretores de escola para instruí-los sobre a responsabilidade referente à merenda, que é um papel de todos”.

É a primeira vez que Gracinete Gomes, funcionária Escola Municipal de Ensino Fundamental Milton Alves Martins, está trabalhando como merendeira. “Estou me sentindo bastante motivada e quero colocar em prática as recomendações recebidas durante a capacitação”.

Aos que já são experientes nesta função, o treinamento também somou. “É a quarta vez que participo, e acredito que cozinhar e aprender coisas novas são ingredientes fundamentais”, ensina Célia Rodrigues, merendeira da Escola Sorriso de Criança há seis anos. Ao final, todas as merendeiras receberam da equipe da Semed o certificado de conclusão da capacitação.

Alunos da UFRA Parauapebas participam da semifinal estadual do Desafio Universitário Empreendedor

Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) será representada por cinco universitários na competição que será realizada pelo Sebrae, neste final de semana, nos dias 17,18 e 19 de março, na cidade de Belém. O desafio tem como objetivo estimular estudantes universitários para o empreendedorismo e capacitá-los para o mercado de trabalho.

Estudantes de quatro cursos oferecidos pelo Campus Parauapebas participarão da semifinal estadual do Desafio Universitário Empreendedor: Cleiton Langner Choa e Wilton Carlos Aroucha, do 8º período de Agronomia; Ana Karolina Dias Farias, do 6° período de Engenharia Florestal; Renê Alves da Silva, do 5º período de Administração e Ricardo da Silva Leite, do 3º período de Engenharia de Produção.

Além dos alunos da UFRA, Parauapebas será representada também por Marcos Adriano Dias de Lima, da Uniube e Joabe Vieira Costa, da AIEC Parauapebas.

Quer entender como a competição funciona?

A primeira fase do desafio é virtual. Os estudantes acumulam pontos por meio de participações em capacitações, concursos e disciplinas empresariais.

Já na segunda fase, os alunos classificados na primeira etapa realizam várias atividades com especialistas em gestão presencialmente no Sebrae de cada estado do país.

Por fim, na terceira e última etapa, os quatro melhores colocados na segunda fase formam equipes para representar o estado na final nacional, que este ano será realizada em Brasília, no mês de abril.

Quem pode participar?

Estudantes universitários de qualquer curso de graduação, que estejam regularmente matriculados em Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras credenciadas pelo MEC, além de professores universitários e as IES.

Reportagem: Renê Silva.

Queda de árvore e ‘alerta vermelho’ deixam Estrada de acesso à Carajás interditada

Durante a manhã desta sexta-feira (17), a Estrada Raymundo Mascarenhas, conhecida como “Estrada de Acesso à Carajás”, ficou interditada por mais de uma hora e o congestionamento de veículos leves e pesados foi grande em Parauapebas.

Para saber as reais causas da interdição, a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da mineradora Vale, que por sua vez, afirmou que a Estrada Raymundo Mascarenhas precisou ter o tráfego de veículos interrompido por conta de uma árvore que acabou caindo, após  ventos e fortes chuvas que atingem a região.

Além da queda da árvore, a Vale também impediu o acesso de veículos na subida da serra por conta do ‘alerta vermelho’, um programa de prevenção da mineradora que é sempre ativado em virtude das chuvas e ventos fortes e o risco de queda de árvores, ou seja, uma medida de segurança e proteção aos usuários da via.

A Estrada Raymundo Mascarenhas teve seu acesso bloqueado por volta das 7h17 e foi liberado parcialmente, através do mecanismo ‘pare e siga’ por volta de 8h30.

Fortes chuvas abrem cratera na BR-155 que liga Redenção a Marabá

A região sul e sudeste do Pará nas últimas semanas vem recebendo um grande volume de fortes chuvas e muitas estradas estão apresentando problemas, inclusive impedindo a passagem de veículos leves e pesados.

Durante a madrugada desta sexta-feira (17), um trecho da Rodovia BR-155, que liga os municípios de Redenção e Marabá, acabou tendo o trafego de veículos interrompido por conta de uma imensa cratera que foi aberta na pista. O fato ocorreu nas proximidades do município de Rio Maria.

Com a cratera que abriu nas proximidades de um córrego, o congestionamento de caminhões e veículos pequenos já começa a ganhar grandes dimensões.

De acordo com informações obtidas pela reportagem do Portal Pebinha de Açúcar, ainda não há previsão de quando serão feitos reparos na rodovia que é de responsabilidade do Governo Federal.

Depressão e desânimo atingem 59% dos desempregados, de acordo com SPC Brasil

A pesquisa “Impactos do Desemprego: saúde, relacionamentos e estado emocional”, conduzida pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), mostra que além de trazer complicações à vida financeira, o desemprego afeta também o estado físico e emocional das pessoas. De acordo com o estudo, 59% dos entrevistados se sentem deprimidos ou desanimados, 63% estão estressados ou nervosos e 62% dizem ter estado angustiados. Também foram citados sentimentos de privação de consumo que tinha anteriormente (75%), ansiedade (70%) e insegurança de não conseguir um novo emprego (68%).

Em menor proporção foram mencionados sentimentos de medo (57%), baixa autoestima (55%), perda de valor perante as pessoas (39%), vergonha diante de amigos ou parentes (37%) e culpa (26%).

Por outro lado, 54% das pessoas passaram a sentir-se esperançosas com a vida após perder o emprego e três em cada dez (30%) estão mais otimistas do que era antes e confiam que coisas boas irão acontecer.

Para José Vignoli, educador financeiro do SPC Brasil e do portal Meu Bolso Feliz, por mais difícil que seja, a partir do momento em que a pessoa perde o emprego é importante agir com serenidade. “Uma pessoa que está nessa situação deve realizar um planejamento do orçamento com calma, para evitar atitudes precipitadas como empréstimos em condições desfavoráveis e com taxas de juros muito altas, por exemplo. Esse tipo de atitude pode comprometer a vida financeira e, consequentemente, a saúde mental e física”, orienta.

Mais da metade dos entrevistados teve alterações no sono devido ao desemprego; seis em cada dez têm menos vontade de sair

Os entrevistados também disseram que o desemprego afetou a saúde, à medida que mais da metade (51%) teve alterações no sono, 45% relatam mudanças no apetite, 40% têm dores de cabeça ou enxaquecas frequentes, 29% tiveram alteração na pressão (principalmente aqueles com mais de 50 anos, 54%) e 16% disseram descontar a ansiedade em vícios como álcool, cigarro, comida entre outros.

Com relação aos impactos nos relacionamentos, o estudo mostra que seis em cada dez (59%) daqueles que perderam o emprego têm menos vontade de sair, 27% ficam mais isolados das pessoas, 9% tem feito algum tipo de agressão verbal a pessoas próximas e 4% agrediram fisicamente algum parente ou amigo.

Segundo Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, o trabalhador precisa ter uma visão realista de sua situação para evitar problemas financeiros maiores. “É importante que o desempregado mantenha a mente aberta para propostas diferentes das que ele esteja esperando, seja em termos de salário ou função. Nessa hora, trabalhos alternativos também podem ser uma fonte de renda temporária”, diz.

Metodologia

A pesquisa buscou traçar o perfil do desempregado brasileiro e o impacto no processo de recolocação profissional no mercado. O ponto de partida foi a definição do que vem a ser uma pessoa considerada desempregada. Mediante os critérios adotados, se o indivíduo está trabalhando ou não tem interesse e/ou condições de trabalhar no momento, ou mesmo se está se organizando para montar o próprio negócio e por isso não procura emprego, não foi elegível para responder à pesquisa. Por outro lado, se está procurando emprego, ou recorrendo a formas alternativas de renda enquanto não encontra uma vaga, ou ainda, se não está em busca de emprego porque procurou por muito tempo, sem sucesso, e está aguardando para ver se surge alguma oportunidade, então foi elegível para responder à pesquisa.

Foram entrevistados pessoalmente 600 brasileiros desempregados acima de 18 anos, de ambos os gêneros e de todas as classes sociais nas 27 capitais. A margem de erro geral é de 4,0 pontos percentuais para um intervalo de confiança a 95%.

Acesse a pesquisa na íntegra e a metodologia em:
https://www.spcbrasil.org.br/imprensa/pesquisas

Deixe seu comentário