Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Advogados pedem revogação de medidas cautelares imputadas contra vereadores

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Durante audiência da ação penal oriunda da “Operação Filisteu”, ocorrida nesta terça-feira (4) no Fórum de Justiça em Parauapebas, os advogados que fazem a defesa dos vereadores afastados Josineto Feitosa e Antonio Chaves (Major da Mactra) solicitaram a revogação das medidas cautelares imputadas contra seus clientes.

Os causídicos justificam o pleito afirmando que a fase instrutória já se encerrou e tendo em vista que não há durante tal fase nenhum depoimento que permita aferir que os réus tenham por qualquer meio demonstrado a intenção de interferir no curso do processo e na colheita de provas.


Ao receber os pedidos, o juiz Líbio Moura passou a palavra ao promotor de  Justiça Hélio Rubens para que se posicionasse a respeito do pedido e este solicitou 48 horas para analisar as solicitações de forma singular.

Na audiência do último dia 8 de agosto, os vereadores Devanir Martins, Luzinete Batista e José Arenes foram beneficiados com a revogação das medidas cautelares e reassumiram os respectivos cargos na Câmara Municipal no dia seguinte.

Além de Josineto Feitosa, Major da Mactra, Devanir Martins, Luzinete Batista e José Arenes, figuram também como acusados da “Operação Filisteu” o ex-vereador Odilon Rocha de Sanção, os empresários Breno Herland Matias Gomes, Odileia Ribeiro Sanção, Frederico Damascena Ribeiro Sanção e Edmar Cavalcante e os funcionários públicos Herbeth Matias Gomes, Pedro Nazareno e Cleidiane Ferreira.

Na audiência desta terça-feira (4), foram ouvidos em interrogatório Odileia Sanção, Frederico Sanção, Pedro Costa, Herberth Gomes, Cleidiane Ferreira, Major da Mactra e Luzinete Batista.

Reportagem: Waldyr Silva

Publicidade

Veja
Também