Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Alegando que o prefeito Valmir Mariano está afastado do cargo, vereadores da oposição não aprovam requerimentos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Os vereadores Major da Mactra (PSDB), Euzébio Rodrigues (PT) e até mesmo o veterano Odilon Sanção (SDD), sentiram na pele a fúria dos integrantes do grupo de vereadores da base de oposição ao prefeito Valmir Mariano (PSD), o chamado (G8), que rejeitou todos os Requerimentos e Indicações apresentadas por estes, em Sessão Ordinária que foi realizada na Câmara Municipal de Parauapebas, na tarde desta terça-feira (17).

O motivo? Trata-se do fato que em todos os documentos apresentados citava o nome do prefeito Valmir Queiroz Mariano que, para o G8 está afastado do cargo por 180 dias; e na opinião do mesmo grupo, o nome que deveria constar para encaminhamento era o da até então vice-prefeita Maria Ângela da Silva (PDT) que, para eles, é a prefeita em exercício pelo período do afastamento do prefeito.


Esta decisão do G8 foi tomada, segundo o líder da bancada de oposição, vereador Francisco Amaral Pavão (SDD), para que não seja invalidada a ação de afastamento contra Valmir Mariano e em favor de Maria Ângela, feita pelo grupo. “Não vamos cair em contradição”, assegurou Pavão.

Enquanto ainda lia seu requerimento, Major da Mactra, com um sorriso irônico brincou: “Sei que não vão aprovar mesmo, mas vou ler assim mesmo”. Já Euzébio Rodrigues pediu aos vereadores do G8 o endereço em que a “prefeita Ângela” despachava, para que ele endereçasse a ela o requerimento. “Tudo está sendo assinado e feito pelo prefeito Valmir Mariano, e até que a justiça se manifeste ele é o prefeito”, desafiou Euzébio.

Odilon Sanção explicou que suas indicações não tratavam de algo pessoal, mas de necessidade da comunidade e que não interessava o nome de quem se endereçava, mas que se fosse feita a obra.

O fato trouxe à prática o que o vereador José Arenes (PT) afirmou que não faziam há tempo: “O hábito de discutir requerimentos”. Pois na sessão de ontem a discussão aflorou e só depois de muitas explicações de que não se tratava de nada pessoal os oito parlamentares se levantavam dando por rejeitada tudo o que foi apresentada com o nome do prefeito Valmir Mariano.

As longas discussões esticaram o tamanho da sessão que já iniciou atrasada, sendo encerrada depois de consultar a maioria do plenário por votação antes que todos fizessem uso da tribuna e nem mesmo as explicações pessoais.

Reportagem: Francesco Costa – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar
Fotos: Bariloche Silva / Francesco Costa

Publicidade

Veja
Também