Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Amigas e familiares de empresária assassinada em 2018 clamam por justiça

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um caso que deu muita comoção popular e foi amplamente pautado na imprensa. Assim a morte de Sindicléia de Carvalho Vieira Santos, vítima de assassinato, na madrugada do dia 31 de março de 2018, quando saia da igreja onde congregava, ainda continua sem solução.

De acordo com a mãe da vítima, Lúcia Carvalho, até agora ninguém foi preso e sequer um suspeito de ter sido mandante foi apontado. “Só quero justiça pela morte de minha filha”, afirmou dona Lúcia Carvalho, que, acompanhada de várias amigas protestava na Câmara Municipal de Parauapebas, na manhã da última terça-feira (9), durante a sessão ordinária.


O ato foi ordeiro, com a exibição de faixas que traduzia o pedido do grupo de manifestantes. Ainda segundo dona Lúcia, são frequentes as vezes que procura a Delegacia de Polícia Civil para saber se há alguma novidade, no entanto, nada é respondido a não ser que o caso está sob segredo de justiça.

 

 

Mas, Lúcia de Carvalho garante que nunca desistiu, apesar de ter se mudado de Parauapebas, decisão tomada pelo medo do que pode acontecer com ela, os filhos e netos, e diz que pretende recorrer em instâncias maiores.

Os filhos da vítima, todos menores, segundo Lúcia, ficaram traumatizados. “Tinha um no carro com ela no momento em que o homem a puxou pelo braço e lhe deu o único e mortal tiro na cabeça. Este, continua tendo acompanhamento de psicólogo”, conta dona Lúcia, lembrando que várias manifestações com caminhadas e visitas à Câmara de Vereadores, delegacia de polícia e fórum foram feitas, mas, lamenta que até agora não surtiram nenhum efeito.

Publicidade

Veja
Também