Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Após visita de ministro e prefeito, moradores da “área das palafitas” começam a deixar o local

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na última quarta-feira (14), moradores da “região das palafitas”, localizada nas proximidades do Riacho Doce, em Parauapebas, começaram a derrubar suas casas de madeira depois da visita do Ministro Hélder Barbalho, que na oportunidade estava com o prefeito Darci Lermen, deputado Priante, entre outras autoridades, percorrendo áreas afetadas pelas cheias do Rio Parauapebas, que segundo a Defesa Civil, atingiram mais de 10 mil famílias numa extensão de 17 km ao longo do município.

Na segunda-feira (12), o Ministro da Integração Nacional Helder Barbalho visitou a área das palafitas e prometeu agilizar a liberação de recursos para obras emergenciais em Parauapebas, que inclui a remoção de famílias de áreas de riscos, como é o caso das palafitas. Por sua vez, o prefeito Darci Lermen prometeu que no dia 10 de maio, deste ano, serão entregues para as famílias da área, os documentos de posse dos terrenos para onde serão removidas, juntamente com o kit de construção das casas, mas enquanto se decide para qual área estas 200 famílias serão remanejadas, a Defesa Civil realizou um cadastro para que estas pessoas possam receber o aluguel social.


 

A moradora Luciene Marins, de 28 anos de idade, decidiu morar na localidade por não conseguir pagar o aluguel, que é muito caro em Parauapebas. Em seis anos, ela construiu em área inadequada sua pequena casa com muito trabalho e sacrifício, mas diz estar esperançosa em realizar seu sonho de ter uma casa mais digna. “Já derrubei o meu barraco, pois a água levou quase tudo o que eu tinha. Agora, vou esperar a ajuda da prefeitura para pagar um aluguel até que os lotes sejam entregues”, diz a moradora.

Amaral Araújo, representante da Associação dos Moradores das Palafitas de Parauapebas (AMPP), afirma que essa é uma conquista para todos da comunidade. “Todos que moram aqui lutaram para esta vitória, pois viver neste local já estava ficando impossível e todos nós estávamos expostos a tragédias, como a que aconteceu agora, como a enchente, onde muita gente perdeu tudo o que tinha”, relatou Amaral.

Reportagem: Adersen Arantes / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também