Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Associação de Moradores do Cidade Jardim denuncia Grupo Buriti

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

“Trata-se de uma dívida de R$ 376. 609.042,00 (trezentos e setenta e seis milhões, seiscentos e nove mil e quarenta e dois reais) que beira meio bilhão de reais. Essa é a situação do Grupo Buriti junto à Receita Federal, o que já garantiu a penhora dos bens dos sócios do grupo para garantir o ressarcimento dos valores sonegados”, relatou o atual presidente da Associação de Moradores do Bairro Cidade Jardim (AMBCJ), Antônio Udeanes de Souza.

Ainda de acordo com a entidade denunciante, outra irregularidade praticada pelo grupo de negócios imobiliários é a alienação do bem, lotes, que, mesmo pagos, os compradores não conseguem a escritura. “O assunto veio à tona agora, e só foi descoberto quando clientes, após pagar a última parcela do terreno e receber da loteadora o documento de quitação, foram ao Cartório de Registro de Imóveis para fazer a escritura com a intenção de refinanciar o terreno para conseguir recursos para o fim de construção; e, no cartório, ouviram que o bem ainda pertence ao Grupo Buriti, havendo inclusive um mandado judicial que proíbe que todos os lotes do Cidade Jardim sejam transferidos para o nome de qualquer outra pessoa. Ou seja, o lote continua sendo do Grupo Buriti. O ocorrido tem feito os clientes que se sentem prejudicados procurar a delegacia de polícia e registrar Boletim de Ocorrência sob a acusação de estelionato, crime previsto no Artigo 171 do Código Penal Brasileiro”, contou Udeanes ao Portal Pebinha de Açúcar.


De acordo com documentos apresentados pela Associação de Moradores do Cidade Jardim, a dívida do grupo junto a Receita Federal é objeto de Cautelar Fiscal na 6ª Vara, em Belém, tendo como autor a União – Fazenda Nacional, e tem como responsável o juiz Ruy Dias de Souza Filho, tendo como requerente a Associação de Moradores do Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas; que resultou na INDISPONIBILIDADE dos bens do réu, Grupo Cidade Jardim, todas as empresas e dos vens dos sócios administradores através do Cadastro Nacional de Indisponibilidade.

 

Constam na lista de empresas com bens indisponíveis:

Rocha Participações e Empreendimentos S.A; B. B. R. A. Empreendimentos Imobiliários LTDA; B. R. A. Empreendimentos Imobiliários LTDA; B. R. E. Empreendimentos Imobiliários S. A.; Residencial Cidade Jardim VII LTDA; A. M . S. Empreendimentos Imobiliários S. A.; L. M. S. E. Empreendimentos Imobiliários LTDA; Residencial Cidade Jardim Marabá LT SPE; SPE Loteamento Residencial Imperatriz LT; Loteamento Residencial Açailância LTDA; LTF Empreendimentos Imobiliários SPE LT; Loteamento Residencial Açailândia LTDA; Leolar Móveis e Eletrodomésticos LTDA; Rocha Magazine Loja de Departamento LT; Leolar Holding S. A.; Rocha Incorporações S. A; Borges Informática LTDA; Leorocha Móveis e Eletrodomésticos LTDA; SPE Crystal Empreendimentos Imobiliário LT; SPE Res. VPS Empreendimentos Imobiliários LT; M. S. R. Empreendimentos Imobiliários LT; Terrabrokers Imóveis LTDA; Leolar Imóveis LTDA; Terranova Negócios Imobiliários SPE LT; Leolar Modulados Comércio de Móveis e Eletrodomésticos LTDA; Leolar Franquias LTDA.

Outro lado

A equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar procurou os representantes do Grupo Buriti em Parauapebas para que os mesmos pudessem falar sobre a denúncia; porém, ouviu o compromisso que se pronunciarão em breve.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também